Política

PS rejeita ir para Governo sem eleições, mas aceita diálogo

Reagindo à comunicação de Cavaco Silva desta quarta-feira, Alberto Martins lembrou que o PS não põe de lado «nenhum diálogo particularmente quando está em jogo o interesse nacional e o futuro dos portugueses».

O PS rejeitou, esta quarta-feira, a possibilidade de apoiar ou fazer parte de um Governo «sem que os portugueses manifestem democraticamente a sua vontade através de eleições».

«Perante a grave situação económica e social que o país vive, o PS continuará a apresentar propostas e soluções para resolver os problemas dos portugueses de modo a que o nosso país saia desta gravíssima situação o mais rapidamente possível», frisou o socialista Alberto Martins.

Reagindo à comunicação feita por Cavaco Silva esta quarta-feira, este membro do secretariado nacional do PS sublinhou ainda que vai «aguardar as iniciativas de Cavaco Silva e que o «diálogo não deve excluir nenhum partido político com representação parlamentar».

«Reafirmando todas as nossas posições, designadamente de censura a este Governo, que o PS não rejeita, como nunca rejeitou, nenhum diálogo particularmente quando está em jogo o interesse nacional e o futuro dos portugueses», acrescentou.