Sevinate Pinto não se arrepende de ter assinado manifesto

Citado pelo Expresso, este antigo consultor de Cavaco Silva confirmou ter pedido para ser exonerado do seu cargo para evitar colagens entre a sua posição e a de Cavaco Silva.

Sevinate Pinto, exonerado esta quarta-feira do lugar de consultor do Presidente da República, disse não estar arrependido de ter subscrito o manifesto que defende a reestruturação da dívida.

Citado pela edição eletrónica do Expresso, Sevinate Pinto confirmou que pediu a exoneração do cargo para evitar colagens entre a sua posição e a de Cavaco Silva.

Por seu lado, Adriano Pimpão, que também subscreveu este manifesto, defende que não existe incompatibilidade entre o que tem sido dito por Cavaco Silva e o que foi escrito no manifesto.

Ouvido pela TSF, este ex-presidente do Conselho de Reitores assinalou que o manifesto fala da «sustentabilidade da dívida, o que é fundamental para que o país cresça em termos económicos e salvaguarde o mínimo de direitos sociais para os cidadãos».

Por isso, na opinião de Adriano Pimpão, as posições expressas no manifesto dos 70 são «complementares» e não «antagónicas» às do chefe de Estado, muito embora admita que a Presidência da República possa ter outra opinião.

Já Carvalho da Silva, também ouvido pela TSF, disse ter ficado completamente atónito com esta situação, tendo mesmo falado em comportamento anti-democrático.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de