Política

Votos brancos e nulos devem ter tradução prática no Parlamento, diz Rui Rio

Em Lisboa, o ex-autarca do Porto sublinhou também a necessidade de um «entendimento para revitalizar o regime e procurarmos ter uma democracia bem mais saudável da que temos».

PUB

Rui Rio defendeu, esta terça-feira, que os votos brancos e nulos tenham uma tradução prática em lugares vazios na Assembleia da República numa altura em que a democracia caminha para um «um grau muito baixo».

Na Ordem dos Economistas, em Lisboa, o ex-presidente da câmara do Porto sublinhou que é preciso um «entendimento para revitalizar o regime e procurarmos ter uma democracia bem mais saudável da que temos».

Sobre a democracia atual, Rui Rio adiantou que «acabaremos por ter não exatamente uma coisa que podemos classificar de ditadura, mas iremos evoluindo para uma democracia de grau muito baixo».

«Ou seja, uma democracia em que, pelo seu enfraquecimento, cada vez mais interesses setoriais e corporativos se imponham ao poder político», explicou Rio.

O antigo autarca do Porto disse mesmo «estar quase capaz de dizer que a hipocrisia é um dos barómetros possíveis para aferirmos a saúde de um regime».

Rio, que defende um terramoto nos partidos para que as coisas mudem, quer ainda que o próximo chefe de Estado, porque este já não tem tempo, deve mobilizar os partidos e a sociedade para tentar inverter o rumo de uma democracia que não caminha no sentido certo.