Jerónimo acusa Costa de criar uma crise política para obter "maioria absoluta"

Jerónimo de Sousa acusou ainda o PS de "lançar a instabilidade no país com uma operação de chantagem".

O líder do PCP acusou o Partido Socialista de estar "fixado numa eventual maioria absoluta" nas eleições. Jerónimo de Sousa aproveitou o discurso num comício da CDU na Amadora para atacar a posição do Governo que ameaçou demitir-se, caso a reposição total do tempo de serviço dos professores seja aprovada.

"Já todos compreenderam que é o calculismo eleitoral e a fixação na maioria absoluta que levam o Governo do PS a ameaçar demitir-se. Mas é particularmente revelador que o PS esteja fixado numa eventual maioria absoluta, recuperando o mesmo discurso, os mesmos argumentos, as mesmas opções anteriores do Governo PSD/CDS, virando trabalhadores contra trabalhadores", adiantou Jerónimo de Sousa.

Jerónimo de Sousa acusou ainda o PS de "lançar a instabilidade no país com a operação de chantagem, a propósito do tempo de serviço dos trabalhadores da Administração Pública, instrumentalizando e dramatizando irresponsavelmente a questão".

O líder comunista sublinhou que é evidente que o Partido Socialista quer virar costas ao atual modelo de governação: "Já se compreendeu que o PS está a querer desfazer-se da atual correlação de forças e da força do PCP que impôs medidas de avanço."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de