Líder do CDS-PP foi abastecer para testemunhar "assalto fiscal" nos combustíveis

Francisco Rodrigues dos Santos quer que o Governo diminua a carga fiscal, que diz ser pesada para famílias, empresas e agricultores.

O presidente do CDS-PP apelou esta sexta-feira ao Governo para que baixe a carga fiscal sobre os combustíveis, classificando de "assalto" os atuais mais de 60% de impostos cobrados pelo Estado.

Francisco Rodrigues dos Santos abasteceu hoje o carro numa bomba de gasolina em Lisboa, na zona do Campo Grande, numa curta iniciativa em que distribuiu alguns folhetos onde se lê que "há três anos que os combustíveis não estavam tão caros".

"Eu quis ser testemunha deste assalto fiscal que o Governo faz aos portugueses no aumento dos combustíveis. Por cada 20 euros de gasolina que colocamos, 13 são para entregar ao Estado, mais de 60% do valor que nos é cobrado são impostos", apontou.

O líder do CDS-PP afirmou que Portugal tem dos combustíveis "mais caros da Europa", sendo um país com baixos salários, e acusou o Governo de "ser incapaz" de dar incentivos às empresas ou aos agricultores, salientando o preço "elevadíssimo" do chamado gasóleo verde.

"Queremos apelar ao Governo para que diminua a carga fiscal sobre os combustíveis", afirmou, considerando a atual fatura muito pesada para famílias, empresas e agricultores.

Rodrigues dos Santos chegou sozinho ao volante do seu carro, mas tinha à sua espera no local alguns militantes, entre eles o vice-presidente do CDS-PP Pedro Melo e o secretário-geral Francisco Tavares.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de