Lista de deputados do PS. Carneiro fala em experiência "para dar suporte a um Governo estável"

O secretário-geral adjunto do PS respondeu ainda à exclusão de Francisco Assis da lista, lembrando que "também se faz política" fora do Parlamento.

A Comissão Política Nacional do PS aprovou os candidatos a deputados, com 83 por cento de votos a favor. É uma lista com "o fator experiência" para dar "suporte político a um Governo que se quer estável".

Entre os membros da Comissão Política Nacional, 14% votaram contra e três por cento optaram pela abstenção, numa lista que conta com 12 dos 19 ministros, e sete são cabeças de lista.

No final da comissão política nacional, o secretário-geral adjunto foi questionado sobre as poucas mudanças, mas José Luís Carneiro não concorda: há experiência política, mas também juventude.

"Se olhar para as listas do PS em todos os distritos, vai encontrar muitas caras novas, que estarão pela primeira vez no Parlamento, se merecerem a confiança dos cidadãos. Mas vai também verificar equilíbrio com a experiência política, porque é relevante para garantir estabilidade e um suporte político efetivo para a concretização de um programa do Governo que se quer para quatro anos", explicou.

Há oito cabeças de lista novos, comparando com as legislativas de 2019, e 147 mulheres candidatas.

Tal como se esperava, o atual presidente do Conselho Económico e Social (CES), Francisco Assis, foi excluído das listas, apesar de estar disponível. Ainda assim, José Luís Carneiro sublinha que não é só no Parlamento que se faz política.

"Todos queremos continuar a contar com o Dr. Francisco Assis. É uma ideia que queremos que seja calara. Neste momento, está a servir o interesse nacional na presidência do CES, e não é só no Parlamento se se serve o interesse público", apontou.

No Porto, o cabeça de lista é o independente Alexandre Quintanilha, e o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, repete o terceiro lugar.

No total, 31 membros do Governo vão a votos, com o ministro da Defesa João Gomes Cravinho número dois por Setúbal, quando em 2019 tinha concorrido por Lisboa. Já o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, repete o primeiro lugar pelo círculo fora da Europa.

Sem surpresas, em Lisboa, o líder é António Costa, que conta com o antigo presidente da câmara de Lisboa Fernando Medina em quinto lugar. Na lista está ainda a deputada Edite Estrela e a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de