Marcelo chama agentes do setor da Saúde a Belém

Numa tentativa de aproximar posições, o Presidente da República vai receber em Belém a ministra da Saúde, bastonários, ex-ministros e sindicatos. A possibilidade de um novo confinamento não está excluída.

Marcelo Rebelo de Sousa vai ouvir todos os agentes do setor da saúde nas próximas duas semanas. O semanário Expresso escreve que a primeira a ser ouvida será a ministra da Saúde, já na segunda-feira. O Presidente da República quer servir de ponte entre os setores público, privado e social, na segunda fase da pandemia.

Nesta entrevista, o Presidente da República revela que já conversou com o primeiro-ministro António Costa sobre a possibilidade de voltar a decretar o estado de emergência.

O semanário escreve que o discurso entre o Presidente e o primeiro-ministro foi articulado para um misto de dramatização e alerta coletivo. A ideia é passar a mensagem de que ou se tomam cuidados máximos ou será inevitável avançar para medidas mais radicais.

E, neste caso, Marcelo e Costa já discutiram as medidas: o recolher obrigatório durante a noite ou confinamentos locais. Só em último caso será decretado o estado de emergência.

O Presidente avisa que as soluções mais radicais devem reunir o consenso, caso contrário serão um fracasso.

Para promover o diálogo entre os agentes da saúde, Marcelo Rebelo de Sousa vai convocar, nas próximas duas semanas, todos os que têm uma voz influente no setor. A ministra da saúde, Marta Temido, será a primeira a ir ao Palácio de Belém, já na segunda-feira. Seguem-se os bastonários, antigos ministros da saúde do PS e PSD e dirigentes sindicais.

O Expresso adianta que Marcelo espera, com estes encontros em Belém, quebrar o gelo entre o setor público, privado e social da saúde para recuperar o clima de união verificado no início da pandemia.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de