Marcelo chega a Moçambique com "troca de pontos de vista" sobre a Ucrânia na mira

À partida, o Presidente da República lembrou que "Moçambique e Angola tiveram posições de voto que não foram exatamente as mesmas da maioria dos países da CPLP" sobre o conflito na Europa.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, inicia esta quinta-feira uma visita de Estado de quatro dias a Moçambique. É a terceira vez desde que assumiu o cargo de Chefe de Estado português ao país que considera ser a sua "segunda pátria".

A viagem acontece num momento em que se vive uma guerra na Europa e, à partida para o continente africano, Marcelo Rebelo de Sousa quer dar um sinal da importância de a CPLP falar a uma só voz.

"Moçambique é uma peça fundamental da CPLP. Como sabem, perante a situação vivida agora na Ucrânia, Moçambique e Angola tiveram posições de voto que não foram exatamente as mesmas da maioria dos países da CPLP, mas foram sensíveis à ideia de não se oporem à condenação. Portanto, também é uma oportunidade de falar daquilo que é o enriquecimento da CPLP e a troca de pontos de vista no momento atual que vivemos no mundo", explica o Presidente da República.

Marcelo Rebelo de Sousa enumera as ligações entre Portugal e Moçambique, antes da visita onde se irá encontrar com o Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, no palácio presidencial, e é convidado de um jantar oficial no Palácio da Ponta Vermelha.

"A cooperação que nós estamos a dar no plano militar, da formação militar, já há muito tempo, mas agora também num quadro europeu, relativamente a uma solicitação moçambicana e em que os grandes protagonistas são as Forças Armadas moçambicanas naquilo que é o contribuir para uma estabilização e criação de condições para o desenvolvimento económico e social de Moçambique", destaca.

O Presidente da República lembra ainda outras cooperações entre os dois países: "Por outro lado, vários projetos, que estão em curso, de cooperação económica e financeira entre Estados, mas entre empresários portugueses e Moçambique, a cooperação cultural e educativa. A escola portuguesa em Maputo e também a colaboração entre universidades portuguesas e a Universidade Eduardo Mondlane."

Esta viagem de Marcelo Rebelo de Sousa a Moçambique chegou a estar marcada para janeiro, mas foi adiada por causa da pandemia. Nesta viagem a Moçambique, o Presidente da República vai ainda à Escola Portuguesa de Moçambique e à Universidade Eduardo Mondlane.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de