Marcelo diz que cancelamento de Bolsonaro "não fragiliza relações" entre os dois países

Presidente da República falou aos jornalistas no aeroporto de Lisboa, antes de embarcar para o Brasil e garante manter "o mesmo programa".

Marcelo Rebelo de Sousa garante que o facto de Jair Bolsonaro ter cancelado o encontro que tinham agendado "não fragiliza as relações" entre os dois países nem cria qualquer incidente diplomático.

"Não, nada. As relações entre Portugal e o Brasil são entre povos. Não é haver um almoço ou não haver que faz com que os 200 e tal mil de brasileiros que estão cá deixem de gostar de Portugal", afirmou Marcelo.

Antes de embarcar no voo para o Brasil, Marcelo esclareceu que foi o Presidente brasileiro quem o convidou para almoçar em Brasília e que esse almoço até iria fazer com que se desviasse do trajeto que tinha inicialmente planeado.

"Quem convida para almoçar é que decide se quer almoçar ou não, em que termos quer almoçar e se faz questão de manter o almoço. Quando estive cá, no ano passo, estive também em São Paulo e tive contacto com antigos chefes de Estado brasileiros, os mesmos com os quais tinha aprazado encontrar-me agora. Para mim é muito simples: há um paralelo total de situações, são três antigos Presidentes brasileiros, personalidades que, por si próprias, marcaram muitas relações entre Portugal e o Brasil", explicou o Presidente da República.

Marcelo lembrou também que há, atualmente, questões políticas "muito importantes" que dividem Portugal e Brasil, como é o caso da guerra na Ucrânia.

"Não me cumpre a mim estar a comentar as razões para as quais sou convidado nem as razões pelas quais se mantém ou não o convite. Uma coisa é certa: há questões políticas muito importantes. Portugal e Brasil tiveram posições diferentes na questão na Ucrânia, que é uma questão pesada. Haver ou não almoço não é uma questão pesada, não constava sequer do primeiro programa da visita", acrescentou o chefe de Estado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de