Marcelo e pessoal médico. Presidência indica quatro pessoas para vacinação

Na resposta ao primeiro-ministro não constam os nomes dos conselheiros de Estado, uma vez que já estavam na lista de prioritários do Governo para a vacina contra a Covid-19.

A Presidência da República indicou ao Governo a lista de pessoas a vacinar contra a Covid-19. Além do próprio chefe de Estado, foram indicados um médico e duas enfermeiras, noticiou o DN e confirmou a TSF.

Serão as únicas três pessoas, além de Marcelo Rebelo de Sousa, a integrar a lista de prioridades para a vacina contra o coronavírus. O documento foi enviado esta terça-feira ao primeiro-ministro, António Costa, que já tinha incluído como prioritários os membros do Conselho de Estado.

A vacinação de titulares de órgãos de soberania gerou alguma controvérsia. Vários deputados recusaram ser vacinados antes de grupos mais vulneráveis, como idosos ou profissionais de saúde.

No domingo, o PS propôs que fosse dada prioridade imediata à vacinação contra a Covid-19 do presidente, vice-presidentes do Parlamento e que os restantes deputados sejam vacinados em fase posterior, "nas semanas e meses seguintes".

O plano de vacinação no Parlamento está envolto em polémica desde sábado, depois de 12 deputados do PSD, incluindo o seu líder Rui Rio, terem pedido para sair da lista enviada por Ferro Rodrigues ao Governo para serem vacinados por discordarem de "uma opção tão alargada" - o que "surpreendeu muito negativamente" Ferro Rodrigues.

Na carta, assinada por Ana Catarina Mendes, lembra-se que a vacinação dos deputados "decorre do plano de vacinação" e que só acontecerá depois se serem vacinados "residentes em lares, internados em cuidados continuados, profissionais de saúde e profissionais essenciais das forças de segurança e das Forças Armadas".

A ser seguida esta proposta, apenas seriam vacinados, na próxima semana, o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, e dois vice-presidentes, Edite Estrela (PS) e António Filipe (PCP). Os outros dois vices, Fernando Negrão (PSD) e José Manuel Pureza (BE), recusaram ser vacinados nesta fase.

A lista inicial enviada na sexta-feira por Ferro Rodrigues a António Costa, que no início da semana pediu ao Parlamento o envio da lista com os deputados considerados prioritários, ficou assim reduzida de 50 para 38, e teve de ser retificada.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de