Marcelo já não vai deslocar-se a Brasília

O Presidente da República ainda aguarda, no entanto, por uma comunicação do Palácio da Alvorada.

Marcelo Rebelo de Sousa ainda espera até ao início da tarde por uma comunicação do Palácio da Alvorada, mas o Presidente da República já voltou ao plano A e tem tudo preparado para não se deslocar a Brasília.

A informação foi confirmada por Marcelo após o encontro com Lula da Silva, no consulado-geral em São Paulo. Agora, o programa da comitiva portuguesa segue o que estava planeado antes do convite de Bolsonaro para almoçar com o chefe de Estado português.

"O programa está a caminhar exatamente como estava previsto. Vou agora para a bienal. (...). Depois, receberei, no mesmo sítio que recebi há um ano, Michel Temer. E, depois, se não houver uma alteração de circunstâncias, isto é, se não houver uma indicação escrita em contrário, fica o programa por aí, o que quer dizer que, de facto, não haverá Brasília", afirmou o Presidente, que seguirá depois para Lisboa "logo que seja possível".

Reiterando a mensagem dos últimos dias, o chefe de Estado não considera que esta situação insólita e inédita seja um incidente diplomático e realça que não abala em nada as relações entre os dois países. "Não altera nada, nem o meu relacionamento com o chefe de Estado brasileiro, nem o relacionamento do Estado português com o Estado brasileiro, nem o relacionamento do povo português com o povo brasileiro", assinalou.

Até porque, voltou a lembrar, a deslocação dentro do Brasil está a ser possível graças à Força Aérea brasileira, "que só é possível porque o Estado brasileiro, a começar no Presidente, está a apoiar a deslocação do presidente de Portugal dentro do território brasileiro."

Jair Bolsonaro declarou à CNN Brasil na sexta-feira que tinha decidido cancelar o almoço entre os dois, o que justificou com o facto de Marcelo Rebelo de Sousa se ir encontrar este domingo com Lula da Silva.

O Presidente português desvalorizou reiteradamente este episódio e disse que aguardava uma eventual comunicação por escrito do seu homólogo.

Bolsonaro vai recandidatar-se ao cargo nas presidenciais marcadas para 2 de outubro, nas quais irá defrontar Lula da Silva.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de