Marcelo justifica viagem a Angola e espera mais dados sobre variante Ómicron

Presidente da República já está em Lisboa após viagem de dois dias a Luanda. Marcelo aguarda mais dados para confirmar gravidade da nova variante.

O Presidente da República rejeita que tenha sido imprudente viajar para Angola, numa altura em que o mundo fecha portas a viajantes de África Austral, devido à nova variante Ómicron.

Na chegada a Lisboa, após dois dias em Luanda, Marcelo Rebelo de Sousa reiterou que foi testado todos os dias e elogiou a segurança sanitária do país lusófono."É uma deslocação, que além da sua justificação política, cumpria todos os requisitos sanitários", disse, em declarações aos jornalistas.

Sobre as medidas que entrarão em vigor na próxima quarta-feira, o Presidente da República defende que faltam ainda dados que justifiquem a adoção de restrições adicionais além das anunciadas pelo primeiro-ministro. "As medidas continuam a ter a sua lógica. Entram em vigor dia 1. Neste momento, não temos dados que é preciso tomar outras medidas", afirmou, lembrando ainda o que disse a médica que detetou esta nova estirpe do coronavírus.

"Sabe que a própria médica que estudou esta nova variante veio dizer que os sintomas nuns aspetos são diferentes, mas que são muito leves, não são mais pesados, nem mais graves, nem mais fatais do que outras variantes. Ela própria explicou isso, é essa a posição dos especialistas até agora. Tem um efeito de contágio, mas a gravidade é menor", acrescentou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de