Marcelo Rebelo de Sousa lamenta morte de David Sassoli, um "grande europeísta"

Presidente do Parlamento Europeu morreu aos 65 anos de idade, após mais de duas semanas internado num hospital em Itália.

O chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa, lamentou esta terça-feira "com profundo pesar" a morte do presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, que descreveu como "um grande europeísta", de "caráter humanista".

O presidente do Parlamento Europeu morreu esta terça-feira aos 65 anos de idade, após mais de duas semanas internado num hospital em Itália, devido a uma disfunção do seu sistema imunitário.

Através de uma nota publicada no sítio oficial da Presidência da República na Internet, Marcelo Rebelo de Sousa "lamenta, com profundo pesar, o falecimento prematuro do presidente do Parlamento Europeu David Sassoli, endereçando à família e ao Parlamento Europeu as sentidas condolências".

"David Sassoli era um grande europeísta e deu um importante contributo como presidente do Parlamento Europeu para a defesa dos valores da União Europeia, nomeadamente da democracia e da solidariedade, revelando sempre o seu caráter humanista ao longo do mandato que exerceu com elevação. Foi um jornalista de grande prestígio em Itália, reconhecido pela sua competência e afabilidade", lê-se na mesma nota.

O Presidente da República Portuguesa "recorda já com saudade os diversos encontros que tiveram, ainda recentemente em dezembro passado em Estrasburgo, as excelentes relações institucionais e o trato sempre afável de David Sassoli".

David Sassoli foi um dos jornalistas mais reconhecidos em Itália, carreira que deixou para integrar o Partido Democrático, pelo qual foi eleito eurodeputado em 2009 e presidente do Parlamento Europeu em 2019.

Em setembro de 2021 contraiu uma pneumonia que o obrigou a receber tratamento hospitalar em Estrasburgo, França. Embora tenha recebido alta hospitalar uma semana depois, prosseguiu a recuperação em Itália e esteve mais de dois meses ausente das sessões plenárias, regressando no final do ano.

Na próxima semana, na primeira sessão plenária de 2022, o Parlamento Europeu deverá eleger um presidente da assembleia, algo que já estava previsto a meio da atual legislatura, e não relacionado com o estado de saúde de Sassoli.

A maltesa Roberta Metsola, do Partido Popular Europeu (PEE), é a favorita para suceder ao dirigente socialista italiano, que assumiu o cargo no verão de 2019.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de