Marta Temido disponível para enfrentar mais um ciclo e trabalhar de "forma unida"

Para a ministra da Saúde, reconduzida no cargo por António Costa, irá ser recomeçado "um trabalho de grande intensidade" que ficou "prejudicado por aquilo que foi a vida debaixo de uma pandemia ao longo dos dois últimos anos".

A ministra da Saúde, Marta Temido, reconduzida no cargo na quarta-feira pelo primeiro-ministro António Costa, disse este sábado estar disponível para enfrentar "mais um ciclo" e "trabalhar de forma unida" para responder à população.

"O que importa referir é a disponibilidade para, no início de mais um ciclo, enfrentarmos os desafios que todos, Governo, associações públicas profissionais, associações representativas dos trabalhadores, temos pela frente para garantir uma melhor resposta aos cidadãos", disse Marta Temido no Centro Ismaili de Lisboa, onde se associou à jornada de doação de sangue para assinalar o Dia Nacional do Dador de Sangue, que se celebra no domingo, tendo igualmente participado como dadora e apelado à doação.

De acordo com Marta Temido, irá ser recomeçado "um trabalho de grande intensidade" que considera ter ficado "prejudicado por aquilo que foi a vida debaixo de uma pandemia ao longo dos dois últimos anos".

"Não foi um tempo de governação normal", disse Marta Temido, lembrando agora "o empenho para trabalhar com todos os atores e a certeza de que se irá conseguir fazer aquilo que é a implementação da aprendizagem da pandemia: trabalhar de forma unida para responder à população".

Marta Temido foi reconduzida na quarta-feira, pelo primeiro-ministro António Costa, no cargo de ministra de Saúde, tendo sido já alvo de críticas por parte da Federação Nacional dos Médicos, que se mostrou dececionada com a sua recondução, assim como pela Ordem dos Enfermeiros, que lamenta a sua continuidade no cargo.

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses desafiou a ministra a resolver rapidamente os problemas dos trabalhadores deste setor, enquanto o Sindicado dos Médicos se mostrou esperançado em que Marta Temido altere aquilo que designou como "atitude de arrogância".

Só a Ordem dos Farmacêuticos ficou satisfeita com a recondução da ministra, considerando ser "escolha acertada".

A jornada de doação de sangue no Centro Ismaili de Lisboa, conta com a colaboração do Instituto Português do Sangue e da Transplantação e com a adesão de cerca 200 voluntários, membros da comunidade Ismaili e população da Freguesia de São Domingos de Benfica, que irão dar sangue nos postos de recolha instalados no local.

Depois de ter doado sangue, Marta Temido apelou à mesma e deixou um agradecimento a todos aqueles que ao longo dos "meses difíceis" em que a covid-19 inibiu as pessoas de participar na dádiva continuaram a apoiar as reservas de sangue em Portugal.

O evento foi organizado no âmbito do Ismaili CIVIC, um programa global sob o qual a comunidade muçulmana Shia Ismaili de todo o mundo se uniu em torno da sua tradição secular de servir a humanidade, prestando serviço voluntário para melhorar a qualidade de vida das comunidades em que vivem, independentemente da sua fé, género e origem.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de