Medidas mais restritivas podem ser antecipadas em "dois ou três dias"

Líder social-democrata alerta que números de casos e mortes apontam para "medidas mais drásticas".

O presidente do PSD afirmou esta sexta-feira que dará suporte político a um agravamento das medidas para travar a epidemia de Covid-19 e adiantou que não colocará obstáculos jurídicos caso o Governo pretenda antecipar essas medidas alguns dias.

Rui Rio assumiu esta posição após ter sido recebido em audiência pelo primeiro-ministro, António Costa, durante a qual esteve acompanhado por dois médicos sociais-democratas: o deputado Ricardo Batista Leite e o coordenador para a área da saúde do Conselho Estratégico Nacional do partido, António Araújo.

"Se as medidas tiverem de entrar mais cedo e se o estado de emergência tiver de ser ajustado dois ou três dias mais cedo", o líder social-democrata garante não se opor a essa necessidade.

Perante os jornalistas, o líder social-democrata disse que se prepara um confinamento em moldes idênticos ao que vigorou em abril passado, mas com a manutenção das escolas abertas. Um ponto em que Rui Rio manifestou dúvidas, dizendo que vai esperar pela reunião de terça-feira com epidemiologistas, no Infarmed, em Lisboa, para ouvir a fundamentação técnica em relação a essa ideia de continuidade das aulas presenciais.

"O número de casos de infetados e de mortos têm atingido recordes. Isso aponta para medidas mais drásticas para travar a pandemia. Se os números estiverem assim nos próximos dias, num patamar de dez mil infetados, teremos de travar os contactos entre as pessoas e, portanto, teremos provavelmente no país um confinamento muito mais apertado", referiu o presidente do PSD.

Nesse sentido, Rui Rio frisou que o PSD, do ponto de vista político, "estará disponível para votar esse estado de emergência e para suportar também as medidas que defendem a saúde pública, com as atenuantes possíveis, tendo em vista o drama económico que representa fechar outra vez, fortemente o país por mais duas, três ou quatro semanas".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de