Medina vai "andar por aí"? "Vou voltar ao meu trabalho como economista. Vou estar atento"

Fernando Medina marcou presença na tomada de posse do presidente da Câmara Municipal de Lisboa, que decorreu na Praça do Município.

Terminada a tomada de posse de Carlos Moedas, o agora ex-presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, disse desejar que tudo corra bem a quem lhe sucede, para bem da cidade e dos lisboetas. Para o futuro, revelou que vai regressar ao trabalho como economista e vai estar atento ao que se passar por Lisboa.

"Não fiz mais do que cumprir a minha obrigação como democrata. Sinto que a cumpri. Um executivo deve funcionar como um corpo único. Fizemos a transição de pasta, que tudo lhes corra bem, a bem da cidade e dos lisboetas. Regressarei à minha profissão de economista e continuarei sempre a zelar e a falar quando tiver de falar. Vou estar atento. O final deste capítulo vai ser marcado por umas semanas dedicadas à família", afirmou Fernando Medina.

A cerimónia de posse do presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, e a instalação dos órgãos do município de Lisboa para o quadriénio 2021/2025 decorreu na Praça do Município de Lisboa, com cerca de 700 lugares sentados, inclusive para a presença de várias personalidades como o ex-Presidente da República Aníbal Cavaco Silva, os antigos primeiros-ministros Francisco Pinto Balsemão, Pedro Passos Coelho e Pedro Santana Lopes (atual presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz), o presidente do PSD, Rui Rio, e o presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, e mais de uma centena de pessoas a assistir em pé.

O presidente cessante da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, também esteve presente na cerimónia, assim como os ex-líderes do PSD Luís Marques Mendes e Manuela Ferreira Leite, os presidentes das câmaras municipais de Cascais, Carlos Carreiras, e do Porto, Rui Moreira, o presidente do Banco de Portugal e ex-ministro das Finanças, Mário Centeno, o candidato à liderança do PSD Paulo Rangel, e os antigos candidatos à liderança do PSD Luís Montenegro e Miguel Pinto Luz.

Na semana passada, numa carta dirigida ao presidente da Assembleia Municipal de Lisboa, José Maximiano Leitão, a que a Lusa teve acesso, Fernando Medina renunciou ao cargo de vereador: "Julgo que é esta a solução que melhor serve os interesses da cidade, o funcionamento das reuniões do executivo da autarquia e a capacidade de a oposição camarária se concentrar no futuro e não no passado".

Além de Fernando Medina, da coligação "Mais Lisboa" renunciaram à vereação para o quadriénio 2021/2025 outras duas eleitas: a arquiteta Inês Lobo e a presidente da Lisboa Ocidental SRU - Sociedade de Reabilitação Urbana, Inês Ucha.

Nas autárquicas de 26 de setembro, Carlos Moedas foi eleito presidente da Câmara Municipal de Lisboa pela coligação "Novos Tempos" (PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança), que conseguiu 34,25% dos votos, retirando a autarquia ao PS, que liderou o executivo autárquico da capital nos últimos 14 anos.

Fernando Medina tinha-se recandidatado pela coligação "Mais Lisboa" (PS/Livre).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de