Ministério da Saúde "empenhadíssimo" em contrariar falta de medicamentos

Denúncia de 70 associações de doentes alerta para a "realidade assustadora" de doentes que estão a sofrer com a escassez de fármacos.

A ministra da Saúde disse esta terça-feira, em Coimbra, que o seu ministério está "empenhadíssimo" em contrariar a falta de medicamentos nas farmácias portuguesas.

"É uma situação que nos preocupa imensamente e que estamos empenhadíssimos em contrariar", sublinhou Marta Temido, no final da cerimónia de comemoração dos 40 anos do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

A governante respondia desta forma à denúncia de 70 associações de doentes, que enviaram uma carta ao Infarmed a alertar para a "realidade assustadora" de doentes cujo estado de saúde se tem agravado devido à falta de medicamentos nas farmácias e à não-aprovação de fármacos inovadores.

"Temo-nos deparado com situações de falhas e algumas ruturas no acesso ao medicamento e foi por isso que introduzimos alterações legais recentes", salientou a governante.

Em declarações aos jornalistas, Marta Temido disse conhecer o teor da carta e adiantou que o Infarmed vai receber as associações de doentes para discutir as dúvidas e as questões suscitadas.

Na carta, a que a agência Lusa teve acesso, as associações de doentes que integram a Convenção Nacional de Saúde referem, em especial, os medicamentos para o cancro e lamentam a demora na aprovação de medicamentos inovadores.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de