Ministro das Finanças diz que a estagnação económica é "um mito da direita"

João Leão afirma que "nos últimos 25 anos, nos governos PS", o país cresceu "em média sempre acima da Europa" mas "nos governos PSD, pelo contrário".

O ministro de Estado e das Finanças, João Leão, afirmou esta quarta-feira, em resposta ao PSD, que a estagnação económica é "um mito da direita", salientando que durante os governos socialistas Portugal cresceu "em média sempre acima da Europa".

"A estagnação económica é um mito da direita. A direita ficou parada no tempo em que governou e em que de facto havia estagnação económica", afirmou o governante durante o debate de apreciação, na generalidade, da proposta de lei do Governo para o Orçamento do Estado para 2022 (OE2022).

Na segunda ronda de perguntas dos partidos depois de ter aberto o debate, o ministro das Finanças indicou que "Portugal cresceu nos últimos quatro anos, até 2019, 11,3%", enquanto a "Europa cresceu, a média da zona euro, 7,8% naquele período".

"Fomos dos países da Europa ocidental que mais cresceu naquele período", salientou.

João Leão contrapôs depois que, "nos últimos 25 anos, nos governos PS", o país cresceu "em média sempre acima da Europa" mas "nos governos PSD, pelo contrário".

"Na Europa cresceu-se em média durante os tempos do PSD mais de 1%. Nos tempos do PSD não se cresceu, reduziu-se em média o PIB durante o tempo em que o PSD esteve no Governo", criticou.

O ministro de Estado e das Finanças respondia diretamente a uma interpelação do deputado do PSD Jorge Paulo Oliveira.

Na sua intervenção, o social-democrata afirmou que Portugal foi "ultrapassado por Malta, República Checa, Eslovénia e Lituânia" no que toca a crescimento económico.

E considerou que os portugueses estão "mais pobres em termos comparativos".

LEIA AQUI TUDO SOBRE O ORÇAMENTO DO ESTADO 2022

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de