Morte de Maria Carrilho. Marcelo evoca "fundadora da sociologia militar"

Presidente da República afirmou que Maria Carrilho deixou "uma obra incontornável sobre o estudo das relações civis e militares no século XX português".

O Presidente da República evocou este domingo Maria Carrilho, que faleceu aos 78 anos, como a "fundadora da sociologia militar em Portugal", que conseguiu "uma articulação virtuosa entre pensamento e ação, vanguardismo analítico e coerência ideológica".

Numa nota publicada pela Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa relembrou a "fundadora da sociologia militar em Portugal, a professora Maria Carrilho", que faleceu este domingo aos 78 anos.

"Com um percurso académico notável, aliado a uma relevante experiência política como deputada à Assembleia da República e ao Parlamento Europeu, conseguiu uma articulação virtuosa entre pensamento e ação, vanguardismo analítico e coerência ideológica, em especial nas áreas a que dedicou a sua vida, a Defesa, os Negócios Estrangeiros e os Direitos Humanos", lê-se na nota.

Segundo o chefe de Estado, "fruto desse percurso", Maria Carrilho deixou "uma obra incontornável sobre o estudo das relações civis e militares no século XX português, sobre o papel de Portugal nos sucessivos contextos internacionais, sobre o papel da mulher nas Forças Armadas, e ainda um contributo singular para uma avaliação sistemática da opinião pública às grandes questões da segurança e defesa no Portugal democrático".

"O Presidente da República evoca a sua memória e envia condolências à família e amigos da Professora Maria Carrilho", referiu.

A antiga dirigente e deputada do PS Maria Carrilho, que se destacou pelo caráter pioneiro dos seus estudos na área da Defesa, faleceu hoje, em Lisboa, vítima de leucemia, aos 78 anos.

Fonte socialista disse à agência Lusa que Maria Carrilho, antiga vice-presidente da Assembleia da República e antiga eurodeputada do PS, morreu hoje de madrugada no Hospital CUF Tejo, onde se encontrava internada há algum tempo.

No plano académico e científico, Maria Carrilho, professora catedrática do ISCTE, licenciou-se em sociologia pela Universidade de Roma, tendo feito doutoramento em sociologia política pela Universidade Técnica de Lisboa, e era coordenadora do mestrado em Estudos Europeus no ISCTE.

Maria Carrilho esteve na primeira linha política com a eleição de António Guterres para o cargo de secretário-geral do PS em 1992, tendo pertencido ao Secretariado Nacional deste partido.

Especialista em assuntos de Defesa Nacional e em Assuntos Europeus, foi eleita eurodeputada pelo PS em 1999, funções em que permaneceu até 2004.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de