PS responde a Rio: "Não foi a troika que governou, foi mesmo o PSD que foi além da troika"

Ana Catarina Mendes responde a Rui Rio que tinha dito que tinha sido a troika a governar em quatro anos de poder para o PSD.

Após a apresentação do programa eleitoral do PSD, a líder parlamentar do PS, Ana Catarina Mendes, responde a Rui Rio e considera que o líder social-democrata está enganado quando diz que foi a troika que governou o país.

"Não foi a troika que governou entre 2011 e 2015 em Portugal. Foi mesmo o PSD que foi além da troika. E os portugueses têm memória", afirma Ana Catarina Mendes.

Durante a tarde, o presidente do PSD tinha dito que nos últimos anos os sociais-democratas governaram "sete anos, mas quatro foram indiretamente ligados ao PS, porque quem governou foi a troika".

A líder da bancada parlamentar socialista respondeu às promessas feitas por Rui Rio para as eleições legislativas e acredita que votar no PSD é passar um "cheque em branco".

"O pressuposto de que apenas as concretizará se não houver pandemia, se não houver inflação, se não houver incerteza política, é pedir aos portugueses que passem um cheque em branco a alguém que demonstra muita fragilidade a prometer tudo e o seu contrário", acusa.

Sobre a intenção de Rui Rio de querer combater a estagnação do país, Ana Catarina Mendes diz que o líder do PSD "chega seis anos atrasado", porque "desde 2016 que Portugal cresce acima da média europeia com exceção do ano passado, ano difícil de pandemia".

A líder da bancada do PS argumenta que Rio quer descer os impostos, mas não explica como: "Rui Rio promete aos portugueses uma redução das receitas do estado, mas não explica como a vai compensar com a despesa. Porque quer esconder aos portugueses se vai cortar nas prestações sociais, se vai cortar na saúde, se vai cortar na escola pública."

"Rui Rio vem propor uma descida de impostos, uma descida do IRC para todas as empresas. O PS apresenta-se a estas eleições com a descida dos impostos do IRC para todas as empresas que precisem da sua capitalização, que queiram mais investimento e que invistam também no emprego, porque estamos focados no emprego, na melhoria das condições de vida e dos salários", considera.

Ana Catarina Mendes também aponta incongruências na promessa de baixar o IVA da restauração, porque "é o mesmo Rui Rio que há dois anos queria aumentar o IVA da restauração".

"Fala na valorização dos salários sem saber como. É o mesmo Rui Rio que diz que o aumento do salário mínimo nacional não devia ter sido o que foi. É o mesmo que não querendo aumentar o salário mínimo, não pode prometer aos portugueses aumentar os outros salários", continua.

Por fim, Ana Catarina Mendes acusa o presidente social-democrata de esquecer as pessoas e destaca a importância dos fundos europeus e do Plano de Recuperação e Resiliência, do qual Rio "não disse nada".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de