"Não há sobrecarga" dos cuidados intensivos na Grande Lisboa

António Lacerda Sales adianta que a ocupação em unidade de cuidados intensivos é de 66% na região.

O secretário de Estado da Saúde garantiu esta segunda-feira que "não há sobrecarga" das unidades de cuidados intensivos na zona de Lisboa, que tem uma ocupação de 66%, semelhante à média do resto do país.

"Não há sobrecarga e existe capacidade para continuar a dar resposta de uma forma supletiva e complementar às necessidades", afirmou o secretário de Estado, António Lacerda Sales, durante a conferência de imprensa para fazer o ponto da situação da pandemia de Covid-19 em Portugal.

"A ocupação em unidade de cuidados intensivos é de 66% dos hospitais da região, muito em linha com o do resto do país, que é de 65%", sublinhou, acrescentando que "apenas 20%" das pessoas que estão nos cuidados intensivos são doentes Covid.

António Lacerda Sales lembrou que "a situação na região de Lisboa e Vale do Tejo continua a ser a que inspira mais atenção das autoridades de saúde, porque concentra a grande maioria dos casos diários".

A situação na zona de Lisboa levou à criação de um gabinete especial e hoje a conferência de imprensa contou precisamente com a presença do coordenador do Gabinete Regional de Intervenção para a Supressão da Covid-19, Rui Portugal.

Portugal regista hoje mais quatro mortes causadas pela Covid-19 do que no domingo e mais 266 infetados, cerca de 85% dos quais na Região de Lisboa e Vale do Tejo, divulgou esta segunda-feira a Direção-Geral da Saúde.

De acordo com o boletim epidemiológico da DGS, o número de mortos relacionadas com a Covid-19 ascende a 1.568 pessoas enquanto os casos confirmados desde o início da pandemia totalizam 41.912 infetados.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de