Nível de qualificações de Elisa Ferreira é "absolutamente único e excecional"

Mário Centeno considera que a nova comissária europeia tem qualificações "óbvias" na área financeira e económica.

O ministro das Finanças português e presidente do Eurogrupo, Mário Centeno, destacou esta terça-feira as qualificações de Elisa Ferreira para comissária europeia são de um "nível absolutamente único e excecional", considerando-as "óbvias" na área financeira e económica

"É uma excelente notícia no contexto da nova Comissão Europeia, não só porque é portuguesa, mas porque é, quer do ponto de vista político, quer do ponto de vista técnico, uma pessoa com um nível de qualificações absolutamente único e excecional", afirmou Mário Centeno, em Monsaraz, no concelho de Reguengos de Monsaraz (Évora).

Ao intervir no Summer CEmp, uma iniciativa da Representação da Comissão Europeia em Portugal que arrancou hoje na vila alentejana e que reúne 40 jovens universitários, Mário Centeno foi questionado por um deles, precisamente, sobre o facto de o primeiro-ministro, António Costa, ter indicado para comissária europeia a ex-ministra e Elisa Ferreira, que ocupava agora o cargo de vice-governadora do Banco de Portugal.

Para o ministro das Finanças, "qualquer que seja a pasta" que Elisa Ferreira venha a ter na Comissão Europeia presidida por Ursula von der Leyen, "vai ser mais um exemplo da excelência da representação portuguesa" na dimensão europeia.

Ainda assim, argumentou, as qualificações de Elisa Ferreira "na área financeira e económica são óbvias", destacou Mário Centeno, frisando que espera "que sejam aproveitadas nessa dimensão".

"E vamos seguramente ficar muito orgulhosos daquilo que ela for fazer em prol da União Europeia, porque é nesse patamar que se deve colocar o colégio de comissários", afirmou.

Em declarações aos jornalistas, após a sessão com os alunos do Summer CEmp, o também presidente do Eurogrupo insistiu que a nomeação de Elisa Ferreira tem "muita credibilidade" e "muita qualidade", em termos políticos e técnicos e que, ao longo da sua carreira, a antiga ministra "deixou marcas exatamente disto".

Perante os jornalistas, Centeno não opinou sobre a pasta que lhe deve ser atribuída: "Qualquer pasta que venha a ter é um ganho enorme para o colégio de comissários e um contributo extraordinário que o país está a dar na composição do próximo colégio de comissários".

Essa é uma decisão que cabe ao colégio de comissários, mas "o Governo português acompanha essa matéria e está consciente" de que "as pastas" que Elisa Ferreira pode vir a ter "serão condizentes com as suas capacidades políticas e técnicas, que são absolutamente extraordinárias", sublinhou.

O Summer CEmp, que decorre até sexta-feira, é organizado com o apoio da Câmara Municipal de Monsaraz e da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo e assume-se como uma escola de verão no âmbito da qual o grupo de jovens inscritos dialoga direta e informalmente com um leque de protagonistas da atualidade política e mediática sobre os possíveis cenários de futuro da Europa.

O primeiro-ministro, António Costa, escolheu a ex-ministra Elisa Ferreira para comissária europeia e já o comunicou à nova presidente da comissão, disse hoje à agência Lusa fonte oficial do seu gabinete.

Segundo a mesma fonte, oportunamente a presidente eleita da Comissão Europeia comunicará a pasta atribuída à futura comissária portuguesa.

Elisa Ferreira foi ministra dos governos chefiados por António Guterres, primeiro do Ambiente, entre 1995 e 1999, e depois do Planeamento, entre 1999 e 2002, e ocupa, desde setembro de 2017, o cargo de vice-governadora do Banco de Portugal.

Elisa Ferreira sucederá a Carlos Moedas, comissário indicado pelo anterior governo PSD/CDS-PP.

Carlos Moedas teve a seu cargo a pasta da Investigação, Ciência e Inovação e foi nomeado em novembro de 2014.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de