Novas medidas em vigor às 00h00 desta quarta-feira. Testes rápidos arrancam nas escolas

O objetivo dos testes rápidos nas escolas é "aumentar a rapidez da deteção e rastreamento de possíveis casos de Covid-19".

O Governo anunciou esta tarde que os testes rápidos de deteção de Covid-19 começam na quarta-feira a ser aplicados nas escolas com o ensino secundário dos concelhos em risco de contágio extremamente elevado. "Amanhã vamos iniciar uma campanha de testes rápidos em todas as escolas para reforçar a segurança nas escolas", adianta António Costa.

A campanha vai decorrer em estabelecimentos públicos e privados, através de testes de antigénio (Trag), de acordo com uma nota conjunta dos ministérios da Saúde e da Educação. "Em caso de identificação de surtos ativos será intensificada a testagem, envolvendo e priorizando toda a comunidade escolar dos estabelecimentos de ensino afetados, independentemente do grau de ensino a que pertença", precisaram as tutelas.

Com estes testes, pretende-se "aumentar a rapidez da deteção e rastreamento de eventuais casos de SARS-CoV-2", em alunos, pessoal docente e não docente.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) e a Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE), em colaboração com as respetivas estruturas regionais e com as administrações regionais de saúde, elaboraram um modelo de consentimento informado para os encarregados de educação, juntamente com informação sobre a importância da deteção atempada do vírus.

Na reunião plenária desta tarde, no Parlamento, o PSD criticou o Governo por não ter implementado os testes rápidos nas escolas mais cedo, sublinhando a falta de meios dos alunos para estudar em casa. A substituir Rui Rio, que está em isolamento profilático, Adão Silva recorda que os grupos etários mais afetados são os jovens entre os 13 e 25 anos.

"Até ao final do primeiro trimestre, só um décimo dos computadores necessários tinha sido distribuído. Se vier a encontrar razões técnicas para o encerramento das escolas, o PSD dirá que, finalmente, tomou a decisão certa. Por que não foi aos noticiários de domingo fazer um apelo aos portugueses? Exigir que cumprissem o que estava determinado no novo plano de confinamento", critica.

António Costa indica também que as novas medidas entram em vigor às 00h00 desta quarta-feira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de