Novo ministro da Educação "já conhece os dossiers" mas terá muitos desafios pela frente, diz Mário Nogueira

Mário Nogueira admite que já era esperada a escolha de João Costa para novo ministro da Educação. Em declarações à TSF, o secretário-geral da Fenprof considera que tem "uma vantagem" por já estar há seis anos na equipa ministerial da educação.

Mário Nogueira considera que a escolha de João Costa para ministro da Educação já era esperada. Ouvido pela TSF, o secretário-geral da Fenprof reforça que o ministro vai ter muitos desafios pela frente para melhorar as condições da área da educação, apesar de reconhecer a vantagem de já conhecer a pasta.

"É o que já se esperava. Eu diria que com uma vantagem, que é o facto de termos alguém que, já estando há seis anos na equipa ministerial, não precisa de tempo para conhecer os dossiers, não precisa de tempo para conhecer os problemas, ele sabe exatamente o que é preciso fazer na educação, uma área subfinanciada, uma área em que as escolas precisam de ter melhores condições para poderem dar ainda melhores respostas", considera Mário Nogueira, sublinhando a necessidade do reforço do financiamento dos estabelecimentos de ensino para que sejam tomadas medidas, nomeadamente, a redução do número de alunos por turma e o "não avanço" do processo de municipalização.

Mário Nogueira refere ainda que espera que o novo Orçamento seja diferente daquele que foi chumbado em outubro, e que, de acordo com o secretário-geral da Fenprof, não era bom para a educação.

"O Orçamento do Estado (OE) para 2022 não dava para dar resposta aos problemas. Pelo contrário, até tínhamos, na altura, referido que se tratava de um Orçamento para um país que não tinha professores, porque não apontava para resolver nenhum dos problemas que, neste momento, afastam os professores", afirma.

O secretário-geral da Fenprof não sabe se "a proposta de OE se vai manter igual ou se ainda vai piorar", mas frisa: "Independentemente das escolhas, dos nomes, o que vai contar são as políticas e as prioridades."

João Costa sucede a Tiago Brandão Rodrigues na pasta da educação. O agora ministro esteve nos dois anteriores governos de António Costa como secretário de estado da Educação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de