"O 25 de Abril tem de ser e vai ser celebrado." Ferro Rodrigues responde ao CDS

Presidente da Assembleia da República reage à ausência do líder do CDS nas comemorações e a uma petição que pede o seu cancelamento.

O líder do CDS, Francisco Rodrigues dos Santos, já anunciou que faltará às comemorações do 25 de Abril e até há uma petição a pedir o seu cancelamento, mas o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, sublinha que a proposta foi aprovada no Parlamento com voto favorável de 90% dos deputados eleitos e, por isso, vai acontecer.

"Mais do que em qualquer outro momento, o 25 de Abril tem de ser e vai ser celebrado na AR. A AR não saiu do terreno da vida política democrática com a pandemia, o estado de emergência ou a pressão de saudosistas, antiparlamentares ou seguidores de fake news", explicou, ao Público, Ferro Rodrigues.

Para o presidente da Assembleia da República, celebrar a data é também uma forma de homenagear os mortos, os doentes e quem está na linha da frente do combate ao novo coronavírus, além "de dizermos que da crise que vamos continuar a viver não sairá qualquer alternativa antidemocrática".

"Nestas circunstâncias, a unidade entre órgãos de soberania, o combate aos que promovem petições com números sem credibilidade nem controlo e a defesa da democracia constituem valores fundamentais", afirmou o presidente da Assembleia da República.

O presidente do CDS anunciou este sábado que não irá à sessão solene do 25 de Abril por discordar do modelo de comemoração, considerando que "dá um péssimo exemplo aos portugueses e não respeita os sacrifícios que estão a fazer".

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de