Parlamento aos quadradinhos. AR ilustra debates icónicos em banda desenhada

O primeiro episódio do "Fora da Lei" retrata o ambiente parlamentar no início da era do Cabralismo, em 1842.

Nos 200 anos do Parlamento, vários debates ficaram marcados por duelos verbais entre diferentes políticos. A partir desta terça-feira, esses momentos passam a estar retratados em banda desenhada, numa iniciativa do gabinete de comunicação do Parlamento.

O primeiro episódio do "Fora da Lei", disponível nas redes sociais e no site do Parlamento, retrata o ambiente parlamentar no início da era do Cabralismo. A 19 de agosto de 1842, os deputados votavam a felicitação à Rainha D. Maria II pelo nascimento do filho, Infante D. João. A proposta estava a ser votada sem discussão, e José Estêvãode Magalhães pedia para tomar a palavra.

Em declarações à TSF, o diretor do gabinete de comunicação do Parlamento, João Nuno Amaral, recorda que naquela tarde de agosto, em 1842, ainda em monarquia, "os debates não eram sobre um tema fraturante, mas eram retóricos, com intervenientes de grande gabarito".

"José Estêvão de Magalhães era considerado um dos maiores parlamentares de sempre", lembra, explicando que a primeira parte da iniciativa vai prolongar-se em "seis episódios, publicados duas vezes por semana".

O diretor do gabinete de comunicação do Parlamento espera que a banda desenhada aproxime os cidadãos e os jovens da história política do país. "O objetivo de qualquer Parlamento tem de ser estar próximo dos seus cidadãos. Nas democracias ocidentais, a juventude afasta-se da política e da democracia representativa, e em Portugal também. Se conseguirmos atrair jovens, tanto melhor. Precisamos que os jovens se interessem pelo que se passa no Parlamento, se questionem e participem mais", admite.

João Nuno Amaral explica que o nome da iniciativa, "Fora da Lei", se justifica por uma visão distinta que a banda desenhada acarreta. "Nenhum destes debates está a discutir a legislação, não é nenhum debate técnico sobre um projeto de lei. Além disso, um Parlamento visto através da banda desenhada não é fora da lei, mas é diferente daquilo a que estamos habituados", aponta.

O Parlamento já está a preparar novos episódios da banda desenhada, com desenhos de Filipe Goulão, num trabalho de pesquisa pelos 200 anos da casa da democracia. O debate mais recente será de 2003, com Carlos Carvalhas, na altura líder do PCP, e Mota Amaral, antigo presidente da Assembleia da República, a discutir a invasão do Iraque.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de