"Passos Coelho vê em Montenegro um sucedâneo da sua liderança no PSD"

Carlos César contraria a tese de David Justino sobre a independência de Pedro Passos Coelho nas eleições diretas do PSD, durante o programa de debate político da TSF "Almoços Grátis".

Carlos César acredita que o ex-líder do PSD, Pedro Passos Coelho, não é independente nas eleições diretas do partido, vendo em Luís Montenegro "um sucedâneo da sua liderança". O presidente do Partido Socialista partilhou esta perspetiva durante o programa de debate político semanal da TSF "Almoços Grátis".

Em reação às declarações de David Justino, que tinha sublinhado momentos antes a independência do ex-líder, Carlos César respondeu que "Passos Coelho não tem qualquer independência neste caso", acrescentando que Passos só seria independente "se fizesse uma declaração explicitamente a recusar qualquer influência ou a dizer que não tinha qualquer preferência".

O socialista vai mais longe e garante que o ponto de partida é evidente: "Passos Coelho vê no doutor Luís Montenegro um sucedâneo da sua liderança no PSD".

Quanto à existência de uma segunda volta nas eleições do PSD, Carlos César classifica-a de "roupa velha na aceção gastronómica", o que não desperta no presidente do PS "especial curiosidade".

Carlos César admite que Rui Rio é o favorito à vitória, mas sublinha que os dois candidatos "partem do zero", ou seja, tudo dependerá "da abstenção e do grau de mobilização de cada uma das candidaturas".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de