PCP desafia Governo a criar calendário para aplicar medidas prometidas no OE2021

Para o líder parlamentar comunista, o Governo devia comprometer-se a concretizar o que não foi feito no Orçamento do Estado de 2020 e no Orçamento Suplementar.

O PCP desafia o Governo a fixar um calendário para a aplicação das medidas já prometidas na negociação do Orçamento do Estado para 2021. João Oliveira, líder parlamentar do partido comunista, defende ainda que o Executivo não deve começar já no próximo ano a reduzir o défice.

"Ficou inscrito por proposta do PCP no Orçamento do Estado para 2020 que seriam contratados 2500 profissionais para as forças e serviços de segurança. Até agora está por concretizar. É apenas um dos muitos exemplos que podemos dar de matérias que ficaram escritas no OE2020 que estão por concretizar", explicou João Oliveira.

Para o deputado comunista, o Governo devia comprometer-se a concretizar o que não foi feito no Orçamento do Estado de 2020 e no Orçamento Suplementar.

"É essa a resposta global aos problemas que o país enfrenta que é preciso que o Governo dê, mais do que afirmar conceitos vagos como a forte carga social ou intenções de investimento público e contratação de trabalhadores, o Governo tem de pôr em prática as medidas em que concretiza essas intenções", sublinhou o líder parlamentar.

Portanto, as negociações do Governo com o PCP parecem ainda não estar terminadas.

"Não dou a discussão por arrumada antes de estar. Portanto é preciso que esta discussão se faça e insisto nesta ideia: a bola está do lado do Governo e a responsabilidade também", acrescentou João Oliveira.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de