Pizarro "tem peso para poder, no Conselho de Ministros, dizer aquilo que quer"

O bastonário da Ordem dos Médicos diz à TSF que Manuel Pizarro deve começar por resolver o problema da falta de capital humano no SNS e pede que sejam garantidas ao novo ministro as condições para tal.

O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, concorda com a escolha de Manuel Pizarro para o cargo de ministro da Saúde, mas pede que António Costa lhe dê condições para resolver os problemas do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

"Esta nomeação é da responsabilidade do primeiro-ministro. E o primeiro-ministro, na minha modesta opinião, tem que dar condições a Manuel Pizarro de ele poder fazer algumas coisas diferentes para poder resolver alguns dos problemas que existem. Nomeadamente no que diz respeito à captação de profissionais de saúde para o Serviço Nacional de Saúde, porque, neste momento, um dos maiores problemas é a falta de capital humano dentro do SNS", considera Miguel Pizarro em declarações à TSF.

Para o bastonário da Ordem dos Médicos, Manuel Pizarro "é médico e é político", o que é importante. "Tem peso específico para poder, no Conselho de Ministros, dizer aquilo que quer, que é uma coisa importante. Um ministro da Saúde tem que defender a Saúde. Isso faz parte das regras dentro do próprio Conselho de Ministros. Portanto, eu acho que Manuel Pizarro provavelmente colocou algumas condições ou algumas premissas ao primeiro-ministro", refere.

Mas reitera que são necessárias condições diferentes do que aconteceu com Marta Temido: "Ele precisa que lhe seja dada uma margem de manobra diferente daquela que existiu até agora, para que ele possa começar, o mais rapidamente possível, a encontrar soluções para os problemas principais que existem. Não se resolve tudo de uma vez, nós sabemos. Mas começar já com a fase do capital humano, depois passar ao novo modelo de gestão do SNS que é absolutamente essencial para criarmos uma eficiência muito maior dentro do próprio serviço público. É preciso que o primeiro-ministro lhe dê essas condições."

Miguel Guimarães assume que o nome de Manuel Pizarro já tinha sido abordado.

"Tinha falado no nome do doutor Manuel Pizarro por dois motivos essenciais. Primeiro, pela experiência que ele tem na área da saúde, seja a nível nacional, seja a nível internacional. É importante, porque nós também temos de olhar para a Europa. Temos de ver o que é que os outros países fazem de diferente para dar uma resposta melhor àquilo que são as necessidades dos nossos cidadãos. E porque é uma pessoa que tem uma excelente relação com as pessoas com quem trabalha, nomeadamente com as pessoas que vão trabalhar para ele e estão no Serviço Nacional de Saúde", destaca o bastonário da Ordem dos Médicos.

A Presidência da República anunciou esta sexta-feira que Manuel Pizarro vai ficar com a pasta da Saúde no Governo, sucedendo a Marta Temido que apresentou a demissão na semana passada.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de