"Não devíamos estar aqui". Portugal precisa de "nova madrugada" e de "novo regime"

O deputado único do Chega, André Ventura, defendeu hoje na Assembleia da República uma nova revolução, argumentando que Portugal precisa de "uma nova madrugada" que traga um "novo regime" porque "este já não serve".

"Hoje celebramos o fim de uma ditadura e o início de um regime democrático mas, porque não dizê-lo, precisamos de outro, precisamos de outro", afirmou o líder demissionário do Chega na sessão solene que comemora o 46.º aniversário do 25 de Abril.

Falando no parlamento, o deputado considerou que o atual regime "já não serve", apontando várias críticas à corrupção, aos impostos, e à forma como são tratados os "profissionais na linha da frente" do combate à pandemia de Covid-19.

"E pelo respeito enorme que temos àqueles que lutaram naquela manhã para fazer um regime diferente, também hoje precisamos que uma nova madrugada venha para nos trazer um novo regime", apontou.

Assinalando que o fundador do PSD "Francisco Sá Carneiro dizia que naquele dia os militares realizaram um ato heroico de libertação de si mesmos, mas consigo quiseram libertar Portugal inteiro", André Ventura assinalou que "talvez os militares daquela manhã tenham conseguido libertar-se a si próprios, mas não conseguiram libertar Portugal inteiro".

"Essa ainda vai ser a nossa missão de o concretizar. Pode não ser correto, pode não ser politicamente aceitável, pode nem ser moralmente viável, mas hoje é o momento em que há uma força política nesta Assembleia que diz o 25 de Abril não esqueceremos, mas queremos outro, queremos outra democracia, e queremos outra república, queremos a quarta República portuguesa", salientou o dirigente do Chega.

LEIA AQUI TUDO SOBRE O NOVO CORONAVÍRUS

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de