Primeiro-ministro lamenta morte de Ana Luísa Amaral, "uma das maiores vozes da poesia portuguesa"

Poetisa morreu aos 66 anos vítima de doença prolongada.

O primeiro-ministro lamentou este sábado a morte da escritora Ana Luísa Amaral, "uma das maiores vozes da poesia portuguesa contemporânea".

"Deixou-nos, demasiado cedo, Ana Luísa Amaral, uma das maiores vozes da poesia portuguesa contemporânea", escreveu António Costa no Twitter.

O chefe do Executivo sublinha que a tradutora, professora de literatura e "uma referência" dos estudos feministas em Portugal, "deixa uma extensa obra poética, onde concilia o trivial com uma elevada erudição" e apresenta as condolências à família e amigos.

Ana Luísa Amaral morreu durante a noite de sexta-feira, aos 66 anos, vítima de doença prolongada, revelou a Universidade do Porto.

A poeta, que era professora aposentada da Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP), faleceu durante a noite desta sexta-feira.

A Universidade recorda Ana Luísa Amaral, recentemente galardoada com o Prémio Rainha Sofia de Poesia Ibero-Americana, como "uma autora extraordinária, uma académica distinta e uma cidadã empenhada".

O ministro da Cultura também manifestou "profundo pesar" pela morte de Ana Luísa Amaral, "uma das vozes mais lúcidas e inteligentes da nossa literatura".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de