PS acusa Rui Rio de "não ter ideias" e aconselha-o a "ter uma agenda política"

Ana Catarina Mendes garante que o PSD apenas propôs mais autonomia para o Ministério Público, apesar das propostas para reformas a Justiça que Rui Rio salientou.

O PS acusa Rui Rio de nunca ter apresentado ideias para o país, depois de o presidente do PSD ter acusado o Governo de parar o país por ser "imobilista", para "manter o poder" e "alimentar clientelas". Ana Catarina Mendes aconselhou o líder social-democrata a ler o Plano de Recuperação e Resiliência, que na sua opinião é um programa reformista.

A líder Parlamentar do PS respondeu ao líder social-democrata ao final da tarde desta terça-feira​​​​​, admitindo que "Rui Rio mostrou que não tem uma ideia, um projeto ou uma visão estratégica". Rui Rio "acusou o Governo e o PS de tão terem reformas, mas é bom lembrar as reformas feitas nos últimos anos na saúde ou na educação", disse.

No discurso de encerramento nas jornadas parlamentares do PSD, em Portalegre, Rui Rio garantiu que nunca ninguém se esforçou como ele para "trazer o Governo para as reformas".

"Portugal precisa de um Governo reformista, de uma Assembleia da República com perfil reformista. O nosso primeiro-ministro António Costa não quer reformar nada, mas ainda que ele quisesse reformar, o PS não o deixava reformar porque o PS é ele próprio este sistema", considerou.

Ana Catarina Mendes lembrou ainda que o PSD não propôs qualquer proposta para o PRR, em debate na Assembleia da República, e aconselhou Rio a ler o documento.

"Convém ler o PRR, porque encerra em si um conjunto de reformas, de mudanças de paradigma em Portugal. Mudanças na transição digital, numa economia mais competitiva e aliada às nossas universidades. Uma transição climática absolutamente urgente, em que sabemos que é necessária uma sociedade sustentável", explicou.

Quanto à reforma na Justiça, que Rui Rio salientou, Ana Catarina Mendes garante que o PSD apenas propôs mais autonomia para o Ministério Público. "A única coisa que se conhece de ideia é mais autonomia ao Ministério Público. Ora, a reforma da justiça não se faz com chavões, nem com frases feitas. Faz-se com ideias e com um Estado de Direito democrático que tenha a justiça ao serviço dos portugueses", declarou.

Na Justiça, Rio só reconheceu duas reformas a Costa: "a primeira foi aumentar o salário dos magistrados, outra foi nomear um procurador nacional europeu à feição dos desejos do Governo".

A líder Parlamentar do PS garantiu ainda que o partido está concentrado em dar resposta aos problemas dos portugueses, e pede ao PSD que faça o mesmo "para evitar o crescimento dos extremismos".

"Mais do que andar na espuma dos dias, convém mesmo, para que os extremos não cresçam, que o líder da oposição tenha uma agenda política. É isso que os portugueses precisam: respostas e ideias para os problemas", disse, garantindo que o PS "continuará a trabalhar" para responder aos anseios da população.

Ana Catarina Mendes acusou ainda o PSD de não ter políticas para o interior, apesar de ter realizado Jornadas Parlamentares em Portalegre.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de