PS e PSD em queda, com Costa e Rio a pique na popularidade. CDS no fim da tabela

Cerca de 14 pontos percentuais separam socialistas (37,6%) e social-democratas (23,9%) que registam quedas de quase 3 pontos em relação a julho. Pequenos partidos sobem, CDS tomba para 1,1%.

O PS inverte a tendência de subida e cai 3 pontos percentuais. Nesta sondagem de setembro, os socialistas registam 37,6% de intenções de voto, quando, em julho, passavam os 40%.

O PSD não aproveita o deslize do PS porque também desce os mesmos 3 pp e está agora com 23,9% (em julho estava perto dos 27%).

Estabilizado em terceiro, o Bloco de Esquerda recolhe 8,3% de intenções de voto. E Catarina Martins junta-se a António Costa como as únicas lideranças partidárias que recolhem mais avaliações positivas do que negativas.

Mas é de registar que, como líder partidário, e já depois de ser conhecido o caso da comissão de honra de Luís Filipe Vieira, António Costa vê descer o número de avaliações positivas enquanto crescem as negativas. São 13 pontos percentuais perdidos desde julho.

No caso de Rui Rio, a descida é ainda maior, são 16pp que cai nas opiniões positivas.

Questionados sobre em quem depositam mais confiança para exercer o cargo de primeiro-ministro, 48% escolhem António Costa, contra os 17% que indicam Rui Rio. Mas 25% dos inquiridos não preferem qualquer um destes nomes.

No campeonato de perda de popularidade e, eventual reflexo da polémica sobre a Festa do Avante, Jerónimo de Sousa com uma subida de 10pp é o líder partidário com maior número de avaliações negativas, logo seguido por André Ventura que só recolhe opiniões positivas junto dos eleitores do CDS.

Nas intenções de voto, o Chega está em quarto, ultrapassa a CDU e regista 6,8% de intenções de voto (na sondagem de julho registava 5,3%).

A CDU está em quinto deslizando ligeiramente para os 5,6%.

No fim da tabela estão as maiores mudanças desta sondagem: o PAN, em sexto lugar, sobe para os 4,8% (estava com 2,6% em julho), a Iniciativa Liberal cresce ligeiramente para os 2,6% e até o Livre (agora sem representação parlamentar) dá sinal de vida com 1,2%, resultado suficiente para ficar acima do CDS que surge em último lugar nesta sondagem, com 1,1% de intenções de voto.

Ficha técnica
A sondagem foi realizada pela Aximage para a TSF e o JN, com o objetivo de avaliar a opinião dos Portugueses sobre temas relacionados a intenção de voto nas legislativas e avaliação dos políticos.
O trabalho de campo decorreu entre os dias 12 e 15 de setembro, Foram recolhidas 603 entrevistas entre maiores de dezoito anos residentes em Portugal.
Foi feita uma amostragem por quotas, com sexo, idade e região, a partir do universo conhecido, reequilibrada por sexo, idade, escolaridade e região.
À amostra de 603 entrevistas, corresponde um grau de confiança de 95% com uma margem de erro de 4.00%.
A responsabilidade do estudo é da Aximage Comunicação e Imagem Lda., sob a direção técnica de José Almeida Ribeiro.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de