PS mais forte do que a direita junta. CDS perde para Chega

Grande fatia do voto centrista pode transferir-se para o Chega. A sondagem da Aximage para a TSF/JN/DN mostra que o PS pode valer, em termos eleitorais, mais do que a soma do PSD e dos partidos da direita.

O PSD até sobe mais do que o PS, em relação a novembro, mas são ainda os socialistas quem estão em vantagem com 38,5% de intenções de voto, indo buscar reforço ao campo da esquerda.

Em segundo, a treze pontos, o PSD regista 25,4% e a análise da transferência de voto mostra que o partido de Rui Rio recebe mais de 20% dos votos que, em 2019, foram para o CDS.

O Bloco recupera do deslize do mês passado e mantém-se em terceiro com 8,5%, ainda seguido de perto pelo Chega com 7,7% de intenções de voto.

Na quinta posição de voto, caso as eleições fossem hoje, a CDU está estabilizada nos 5,7%.

É no fim da tabela que surgem algumas confirmações e um sinal de alerta para o CDS.

Depois de registar apenas 1% de intenções de voto no mês de novembro, o CDS agora desce para os 0,3%. A este propósito, a empresa responsável pela sondagem sublinha que "uma sondagem não é uma eleição e que é nas eleições que se decide o futuro dos partidos". Mas, na leitura da Aximage, "o futuro parece muito incerto para o CDS, existindo o risco real de não eleger deputados na próxima legislatura". No histórico da sondagem da Aximage, o CDS registava, em julho, uma intenção de voto de 2,1%, valor que caiu para 1.2% em setembro e outubro e para 1% em novembro.

Analisando a forma como votariam hoje os inquiridos que, em 2019, escolheram o CDS, constata-se que uma grande fatia (cerca de 40%) de intenções de voto recaem agora no partido de André Ventura, 10% vão para a Iniciativa Liberal e outros 24%, como já referido, seguem para o PSD.

Já o PAN e a Iniciativa Liberal parecem confirmar que os chamados novos partidos estão para ficar.

O PAN até desce (1.8pp) mas regista 4,7% de intenções de voto seguido pela Iniciativa Liberal com 3,5% e subir mais de um ponto.

Abaixo da linha de água, nesta sondagem, o Livre (0,5%), agora sem representação parlamentar e o CDS (0,3%).

Ficha Técnica

A sondagem foi realizada pela Aximage para a TSF JN e DN com o objetivo de avaliar a opinião dos Portugueses sobre a intenção de voto nas legislativas e avaliação política.

O trabalho de campo decorreu entre os dias 19 e 22 de dezembro. Foram recolhidas 812 entrevistas entre maiores de dezoito anos residentes em Portugal. Foi feita uma amostragem por quotas, com sexo, idade e região, a partir do universo conhecido, reequilibrada por sexo e escolaridade. À amostra de entrevistas, corresponde um grau de confiança de a 95% com uma margem de erro de de 3,40 %. A responsabilidade do estudo é da Aximage Comunicação e Imagem Lda., sob a direção técnica de José Almeida Ribeiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de