PS pede ao BdP "toda a documentação" sobre a intervenção no processo Eurobic/BPI

Socialistas querem saber, em especial, o que aconteceu na semana de 10 a 17 de abril de 2016 e "os fundamentos" da ação de Carlos Costa.

O PS vai requerer ao Banco de Portugal "toda a documentação e informação" que justificaram a intervenção do ex-governador Carlos Costa no processo Eurobic/BPI, anunciou esta quarta-feira o líder parlamentar socialista.

"O Grupo Parlamentar do PS, como primeira iniciativa, vai requerer ao Banco de Portugal toda a documentação e informação - quer ao departamento de supervisão, quer a outros departamentos que o Banco de Portugal entenda por pertinente -, sobre o processo de intervenção do Banco de Portugal no processo do Eurobic e sobretudo na semana entre 10 e 17 de abril de 2016", anunciou Eurico Brilhante Dias numa conferência de imprensa na Assembleia da República.

"A 10 de abril de 2016, um domingo, o conjunto de acionistas do Banco Português de Investimento, sistémico do sistema financeiro português, anunciou um acordo entre os seus acionistas para desbloquear uma circunstância que punha o banco no quadro das sanções da União Europeia", enunciou o parlamentar.

O acordo, assinalou, seria colocado em causa no dia 13 desse mesmo mês por Isabel dos Santos "por intervenção do senhor ex-governador", Carlos Costa, e a 17 de abril fica sem efeito.

Brilhante Dias considerou ser "muito importante" perceberem-se "os fundamentos" desta intervenção, adiantando que o PS quer "os documentos, as atas, a fundamentação técnica" que a motivou.

Acompanhado pelos dirigentes do PS Jamila Madeira e Miguel Costa Matos, o líder parlamentar socialista considerou que a carta enviada pelo primeiro-ministro na terça-feira à noite em resposta às perguntas do PSD sobre alegadas interferências no Banco de Portugal mostra que se mantém, "de facto, uma nebulosa" sobre este caso.

Há "uma parte que não está esclarecida, mas que não diz respeito à intervenção do senhor primeiro-ministro, mas sim do senhor ex-governador Carlos Costa, em particular no Banco de Portugal no quadro da sua intervenção no BPI", afirmou.

O PS admite desde já não ficar por aqui, pedindo mais esclarecimentos ou documentos e ouvindo o governador do BdP em exercício, Mário Centeno, assim como "outras personalidades".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de