PS perde terreno, PSD está a quatro pontos. Liberais recuperam, Chega desce

A sondagem da Aximage para TSF-JN-DN mostra o PS longe dos valores da maioria alcançada em janeiro. Juntos PSD e Iniciativa Liberal somam mais intenções de voto do que os socialistas.

As legislativas ainda demoram, mas apenas seis meses depois da posse, a maioria absoluta do PS já não encontra tradução nas intenções de voto da sondagem da Aximage para TSF-JN-DN.

Em queda, desde abril, o PS regista 34,5% de intenções de voto, perdendo terreno em relação ao PSD que surge agora a cerca de quatro pontos de distância.

Os social-democratas sobem umas décimas para os 30,9% e até ultrapassam o PS entre os eleitores do centro do país.

Na análise dos resultados do PS, constata-se uma quebra junto do eleitorado masculino e de mais idade.

O PSD consegue segurar melhor do que o PS os eleitores que nele dizem ter votado e beneficia do facto de cerca de um quarto dos eleitores liberais e 15%, entre aqueles que votaram em António Costa, admitirem agora votar em Luís Montenegro.

Costa ainda ganha na confiança para desempenhar o cargo de primeiro-ministro, mas os 38% representam uma queda de sete pontos em relação a julho. Pelo contrário, em recuperação, Montenegro sobe três pontos e está agora com 20% de confiança.

De notar que tem subido o número de respostas que não manifestam confiança em qualquer um dos dois (30%).

Na avaliação dos líderes partidários, Luís Montenegro, apesar de ainda estar com saldo negativo, é o segundo com melhor avaliação. Já António Costa surge em quarto e com mais opiniões negativas.

Em terceiro, o Chega, com 8,9%, perde cerca de um ponto em relação a julho, pouco acima do resultado que obteve em janeiro. André Ventura continua a registar nota negativa de mais de metade dos inquiridos, só ultrapassado, agora, por Jerónimo de Sousa.

Enquanto João Cotrim de Figueiredo surge, nesta sondagem, como o líder partidário com melhor avaliação e o único em terreno positivo, a Iniciativa Liberal recupera ligeiramente e soma 6,7% de intenções de voto. Juntos PSD e IL ultrapassam o Partido Socialista.

Aliás, a soma das intenções de voto em todos os partidos que sentam do lado direito do hemiciclo ronda agora os 46%. Praticamente o mesmo que se obtém quando se juntam as intenções de voto no PS, PAN, Livre, BE e CDU.

Tanto bloquistas como comunistas, apresentam resultados distantes da última legislatura: o BE mantém a dianteira com 3,8% (apesar de ter perdido cerca de 2 pontos) e a CDU desliza para os 3,2%.

O PAN parece recuperar ligeiramente e surge com 3% de intenções de voto, enquanto o Livre está estabilizado nos 2,1% e mostra o melhor desempenho em segurar o eleitorado que votou em Rui Tavares. O CDS, hoje sem representação parlamentar, recolhe nesta sondagem, 1,9%.

Ficha técnica
A sondagem foi realizada pela Aximage para a TSF, JN e DN com o objetivo de avaliar a opinião dos Portugueses sobre temas relacionados com a avaliação dos protagonistas políticos. O trabalho de campo decorreu entre os dias 21 e 24 de setembro. Foram recolhidas 810 entrevistas entre maiores de dezoito anos residentes em Portugal. Foi feita uma amostragem por quotas, com sexo, idade e região, a partir do universo conhecido, reequilibrada por sexo e escolaridade. À amostra de entrevistas, corresponde um grau de confiança de 95% com uma margem de erro de 3,45%. A responsabilidade do estudo é da Aximage Comunicação e Imagem Lda., sob a direção técnica de Ana Carla Basílio.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de