PS quer Eça de Queiroz no Panteão Nacional

Assinalam-se em 2020 os 175 anos do nascimento do escritor.

O Partido Socialista entregou, no Parlamento, um projeto de resolução no qual propõe a trasladação e concessão de honras de Panteão Nacional ao escritor Eça de Queiroz.

A proposta é da autoria dos deputados José Luís Carneiro, Ana Catarina Mendonça Mendes, Pedro Delgado Alves e Rosário Gambôa, todos do Partido Socialista.

"À semelhança de Luís Vaz de Camões e Fernando Pessoa, já homenageados no Mosteiro dos Jerónimos, Eça de Queiroz marcou indelevelmente a Língua Portuguesa. Escritor maior, não só contribuiu como poucos para a expansão da cultura portuguesa, como o fez sob a égide de um forte carácter humanista, justificando de forma amplamente consensual a propositura da concessão de honras de Panteão Nacional, no ano em que se assinalam os 175 anos do seu nascimento e os 120 anos da sua morte", lê-se no texto que acompanha a proposta.

Além de "conceder honras de Panteão Nacional aos restos mortais de José Maria Eça de Queiroz, em reconhecimento e homenagem pela obra literária ímpar e determinante na história da literatura portuguesa", a proposta prevê também a criação de um "grupo de trabalho composto por representantes de cada grupo parlamentar com a incumbência de determinar a data e de definir e orientar o programa de trasladação, em articulação com as demais entidades públicas envolvidas, bem como um representante da Fundação Eça de Queiroz".

Nascido em 1845, José Maria Eça de Queiroz é um dos escritores de renome da literatura portuguesa e autor de obras como "O Crime do Padre Amaro", "O Primo Basílio" e "Os Maias", entre outras igualmente marcantes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de