PSD decide calendário da sucessão de Rio a 14 de março

Comissão Política Nacional do PSD marca Conselho Nacional para dia 14 de março com o objetivo de fechar o calendário das eleições diretas no partido.

Está dado o tiro de partida: o PSD vai reunir em Conselho Nacional no próximo dia 14 de março para fechar a data do congresso e das eleições no partido. A proposta de datas da direção só deverá ser conhecida quando sair a convocatória para os conselheiros, apurou a TSF junto de fonte social-democrata.

A data foi decidida na reunião da Comissão Política Nacional desta quinta-feira à noite e vem na sequência do anterior Conselho Nacional onde os conselheiros aprovaram uma recomendação para que num período de 20 dias fosse marcada nova reunião com o objetivo de fechar o calendário eleitoral interno.

Rui Rio tem defendido que está disponível para ficar na cadeira de presidente até ao verão alegando que o objetivo que tem é o de fazer a transição "com calma, tranquilidade, serenidade e maturidade".

Como referiu Paulo Mota Pinto, presidente da Mesa do Congresso, no final do último Conselho Nacional, não é necessário que Rui Rio apresente formalmente a demissão para encetar o processo. "A demissão é o ato que está implícito na apresentação pela Comissão Política Nacional de um calendário para as diretas, não tem de haver um ato expresso de demissão", disse Paulo Mota Pinto na altura.

Até ao momento, não há oficialmente nenhum nome na corrida para a sucessão, mas nos bastidores do partido fala-se como certa a candidatura de Luís Montenegro. Quem já se manifestou publicamente como estando num processo de reflexão sobre uma eventual candidatura foi Ribau Esteves, o atual presidente da Câmara Municipal de Aveiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de