PSD-Madeira ganha sem maioria absoluta. PS à espreita

Sondagem dá vitória que não resolve a governabilidade da Região. Num parlamento que se arrisca a albergar nove partidos, tanto direita, como esquerda não têm mandatos que cheguem para sustentar futuro executivo

Se as eleições regionais na Madeira fossem hoje, o PSD venceria com o PS por perto, à espreita. As projeções constam do estudo de opinião da Eurosondagem para a TSF e DIÁRIO de Notícias da Madeira e apontam para luta renhida até ao fim, nestas eleições bipolarizadas.

Os social-democratas conquistam 36% do eleitorado e 19 mandatos. O PS, com 33,6%, alcança 17 ou 18 mandatos.

Separados agora por 2,4 pontos percentuais, estes são os únicos partidos que estão em condições de vencer as legislativas regionais marcadas para domingo, embora nenhum atinja a maioria absoluta, o que obrigará a negociações e a coligações.

Mas com quem? O CDS chega aos 8% e aos 4 deputados, insuficientes para garantir uma maioria de direita. Para o mínimo exigido de 24 deputados, será preciso reforço com recurso a uma terceira via, porventura entre os partidos atualmente sem assento parlamentar.

À esquerda, o cenário não é diferente e nem uma réplica da "geringonça" nacional é suficiente. Para ter maioria num parlamento com 47 lugares não basta ao PS somar os 4,5% da CDU que garantem dois mandatos, os mesmos que o BE pode eleger com os seus 4%. Nem adicionando um deputado que o JPP deve eleger, partido que se fica pelos 2,5%, a maioria é alcançada. Fica a faltar um mandato.

Sendo pouco provável a união de toda a oposição contra o PSD, a solução pode passar pelos partidos mais pequenos, ainda sem lugar na ALM. Nesta sondagem sem precedentes - já que conta com 1.525 entrevistas validadas - existe a possibilidade do Aliança, do Iniciativa Liberal e do PAN elegerem cada qual pelo menos um deputado, mesmo que alguma destas forças corram também o risco de ficarem em branco.

Se é certo que o PTP sai de cena, com a entrada das novas propostas o parlamento madeirense fica com uma diversidade nunca vista, com 9 forças políticas, mais de metade das 17 que disputam as eleições no próximo domingo.

Ficha Técnica

Este estudo de opinião foi efetuado pela Eurosondagem, S.A., de 15 a 17 de setembro de 2019, para o DIÁRIO.

Entrevistas telefónicas, realizadas por entrevistadores selecionados e supervisionados.

O Universo é a população com 18 anos ou mais, residente na Região Autónoma da Madeira, e habitando em lares com telefone da rede fixa.

Foram efetuadas 1.796 tentativas de entrevistas e, destas 271 (15,1%) não aceitaram colaborar no Estudo de Opinião. Foram validadas 1.525 entrevistas.

A amostra foi estratificada por Concelho do Funchal (42,3%) e Outros Concelhos (57,6%) e a escolha do lar foi aleatória nas listas telefónicas e o entrevistado, em cada agregado familiar, o elemento que fez anos há menos tempo, e desta forma aleatória resultou, em termos de sexo, (Feminino - 51,5%; Masculino - 48,5%), e no que concerne à faixa etária, (dos 18 aos 30 anos - 18,6%; dos 31 aos 59 - 48,3% com 60 anos ou mais - 33,1%).

O erro máximo da Amostra é de 2,50%, para um grau de probabilidade de 95,0%.

Um exemplar deste Estudo de Opinião está depositado na Entidade Reguladora para a Comunicação Social.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de