PSD pode ter futuro "radioso". Rangel estará a ponderar recandidatura à liderança do partido

O homem que desafiou Rui Rio há pouco mais de dois meses nada diz sobre as suas ambições, no artigo que escreveu para o jornal Público nesta quinta-feira. A pista está no jornal Diário de Notícias, que dá conta de que o eurodeputado estará em fase de ponderação. E há muitos pedidos, até de destacados militantes, para que Rangel volte a ser candidato à liderança do PSD.

Paulo Rangel estará a pensar em ser de novo candidato à presidência do PSD. Num artigo no jornal Público, o eurodeputado não fala sobre o tema, mas define três desafios para um futuro radioso do PSD.

O social-democrata posiciona-se contra a ideia de acelerar os prazos para a sucessão de Rui Rio. É o que garante uma fonte próxima de Rangel ao Diário de Notícias. A mesma fonte assume que o eurodeputado está em reflexão para ponderar eventual recandidatura, tendo já conversado com algumas pessoas e tendo recebido apelos de vários setores para voltar a entrar na corrida à liderança do PSD.

No artigo que assina no jornal Público, porém, Rangel omite essa possibilidade, e argumenta que o PSD tem um futuro "radioso" pela frente, desde que enfrente três desafios essenciais para os próximos tempos.

Em primeiro lugar, aponta, é preciso liderar a oposição de modo "visível, afirmativo, construtivo". Em contexto de maioria absoluta, é um "imperativo democrático", escreve Paulo Rangel. O segundo objetivo que Rangel estabelece é voltar a ligar o PSD aos setores mais vivos e dinâmicos da sociedade civil: ciência, cultura, escolas, empresas, parceiros e instituições sociais, igreja, grupos e causas de todo o tipo.

Como terceira meta o eurodeputado estipula a renovação do partido, com uma nova estratégia de ação, um novo perfil para a comunicação e uma nova rede de interação.

É assim que Paulo Rangel define o caminho para enfrentar a derrota política que o PSD teve nestas eleições. É fundamental ler os sinais políticos que os portugueses deram, sublinha. Impõe-se ainda, segundo o antigo candidato à presidência do PSD, promover uma reflexão e debate profundos, até porque é tempo de arregaçar as mangas e de pôr mãos à obra. Se assim acontecer, o PSD concretizará esse "futuro radioso" que Paulo Rangel prevê.
LEIA AQUI TUDO SOBRE AS LEGISLATIVAS 2022

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de