PSD quer que pais tenham "a máxima informação" para decidir vacinar crianças

Marta Temido vai estar no Parlamento, a pedido do PSD, para falar da vacinação das crianças e do Serviço Nacional de Saúde.

É preciso que os pais decidam vacinar ou não as crianças com base em toda a informação. E é com este argumento que Ricardo Baptista Leite, deputado do PSD, justifica a exigência feita pelos social-democratas para que a ministra da Saúde, Marta Temido, revele todos os pareceres e recomendações sobre a vacinação das crianças entre os cinco e os 11 anos.

"Devo dizer, do ponto de vista pessoal, que olhando para a evidência científica parece uma decisão com robustez no sentido da eficácia e segurança das vacinas. Porém, a bem da transparência daquilo que é um processo de vacinação que não é obrigatório, em que os pais terão de tomar a decisão de vacinar ou não as suas crianças, entendemos que a confiança que é necessária entre as autoridades de saúde e, neste caso, os pais passa também por garantir que os pais estão apetrechados com a máxima informação de base científica possível. Confiando nós naquilo que é o trabalho da comissão técnica de vacinação, entendemos que será um trabalho em prol da construção dessa relação de confiança que sairá da publicação destes pareceres e creio que todos entenderão que a vacinação é, enquanto não tivermos uma terapêutica eficaz e acessível para combater a Covid-19, o instrumento mais seguro de combate à pandemia e tudo devemos fazer para evitar perder esse lado de confiança", explicou Ricardo Baptista Leite, entrevistado por Fernando Alves, na Manhã TSF.

Ao início da tarde desta quinta-feira, Marta Temido vai estar no Parlamento, na Comissão Permanente, a pedido do PSD para falar do Serviço Nacional de Saúde que, para o deputado, está a viver momentos muito difíceis.

"Como alertámos, era necessário preparar o inverno para que os doentes não Covid tivessem respostas a tempo e horas e aquilo que estamos a ver é um desvio, mais uma vez, de recursos do SNS para o combate à pandemia, deixando para trás os doentes com outras doenças. Quando vemos isto ao mesmo tempo a que assistimos, da parte do Ministério da Saúde, à ausência absoluta de uma política de valorização do capital humano, dos profissionais de saúde, até com polémicas que envolvem declarações sobre a sua resiliência, entendemos que a ministra tem de responder perante o país neste final de mandato porque o país precisa que o Serviço Nacional de Saúde responda efetivamente às suas necessidades. Infelizmente não é a isso a que estamos a assistir e a ausência de preparação está a levar, mais uma vez, a um desvio de recursos daqueles doentes que tanto precisavam", justificou o deputado do PSD.

Questionado sobre se aceitaria o cargo de ministro da Saúde caso Rui Rio e o PSD ganhem as próximas eleições legislativas, o deputado afirmou que, para já, o seu foco é em ser cabeça de lista pelo maior círculo eleitoral do país. Uma tarefa que encara como sendo de "grande responsabilidade".

"Estou fortemente comprometido com o projeto político do Partido Social Democrata e tudo iremos fazer para mostrar que o nosso projeto político é aquele que pode devolver aos portugueses a esperança - particularmente à classe média - de poder aspirar ir mais além na nossa economia, trazer crescimento e recuperar mais e melhor emprego para todos, ao mesmo tempo que pretendemos recuperar a qualidade dos serviços públicos, particularmente na área da saúde. O meu compromisso é fazer tudo para que o PSD possa, de facto, ganhar as eleições como principal alternativa ao atual Governo socialista. É só isso que tenho neste momento como foco", acrescentou Ricardo Baptista Leite.

O Partido Social Democrata apresentou um requerimento na Assembleia da República, dirigido à ministra da Saúde, Marta Temido, a pedir a divulgação dos pareceres e recomendações sobre a vacinação contra a Covid-19 de menores de 12 anos.

De acordo com o requerimento, divulgado na quarta-feira, mas datado da véspera, "torna-se particularmente urgente, a bem da transparência administrativa e, principalmente, da tranquilidade e saúde públicas, que o país tenha imediatamente acesso a todos os pareceres e recomendações produzidos no âmbito ou para a [Direção-Geral da Saúde], relativamente à vacinação dos menores com idade inferior a 12 anos".

Desta forma, o requerimento, assinado pelos deputados do PSD Ricardo Baptista Leite e António Maló de Abreu, pede "o envio de todos os pareceres e recomendações reportados à vacinação dos menores com idade inferior a 12 anos, e que tenham sido produzidos no âmbito ou para a DGS, designadamente pela Comissão Técnica de Vacinação contra a COVID-19, bem como do grupo de trabalho encarregado de apoiar a DGS na vacinação contra a Covid-19 dos menores de idade".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de