Rangel desafia Costa a ir a eleições em 2023 e vai propor regresso de debates quinzenais

O eurodeputado é candidato à liderança do PSD.

O candidato à liderança do PSD Paulo Rangel afirmou esta sexta-feira que, se for eleito, vai desafiar o primeiro-ministro a recandidatar-se nas legislativas de 2023 e bater-se pelo regresso dos debates quinzenais no parlamento.

Na apresentação pública da sua candidatura, apenas reservada à imprensa, Rangel deixou um desafio e uma promessa.

"Nós não temos medo nem receio do PS nem de qualquer líder do PS, por mais história ou sucessos que tenha tido. Digo mais, quando for líder do partido, vou desafiar António Costa a liderar as listas do PS às eleições legislativas de 2023", afirmou, defendendo que o PSD "não pode continuar à espera da exaustão ou da desistência de António Costa, como se ele, o PS e o seu governo fossem imbatíveis".

O antigo líder parlamentar comprometeu-se ainda a, se vencer as diretas de 04 de dezembro, bater-se pelo regresso dos debates quinzenais com o primeiro-ministro no parlamento.

"Como líder parlamentar que fui, sei bem da importância crucial dos chamados debates quinzenais. São eles que dão centralidade política e mediática ao parlamento, são eles que permitem confrontar o primeiro-ministro com as falhas e as políticas erradas", disse, considerando "absolutamente incompreensível que a liderança atual do PSD tenha, em conivência com o PS" os tenha abolido.

Para Rangel, tratou-se "de um erro enorme para a República e a saúde da democracia, para o parlamento e para o PSD".

"Assim que tome posse como líder do PSD, comprometo-me aqui a que a minha primeira medida será propor na Assembleia, o regresso dos debates quinzenais", assegurou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de