Restrições de ano novo com nota positiva, gestão do Governo passa sem distinção

Quase 6 em cada 10 cidadãos consideram adequadas as restrições impostas na passagem de ano, sobretudo os mais velhos. Sondagem da Aximage para a TSF, JN e DN revela ainda que gestão da pandemia feita pelo Governo convence, mas pouco.

Apesar de ser transversal a todas as idades, são sobretudo os mais velhos que consideram adequadas as restrições impostas pelo Governo para a passagem do ano. A sondagem da Aximage para a TSF, JN e DN revela que 59% dão aval positivo às medidas, 15% consideram-nas excessivas e 25% até notam que são insuficientes.

No caso das faixas etárias, são aqueles que estão acima dos 65 anos os que mais consideram adequadas estas medidas, mas até na faixa 18-34 anos quase metade também estão de acordo com elas.

Olhando para o Natal, na avaliação feita por este estudo, conclui-se que havia um desejo de um aperto maior nas restrições: se agora, para o ano novo, são 25% a considerar insuficientes as medidas, no caso da consoada esse número subia para 41%.

Gestão da pandemia convence... pouco

Em época de balanços, o Governo não convenceu totalmente na gestão que fez da pandemia desde março até este mês de dezembro. Se 48% até dão boa ou muito boa nota ao trabalho da equipa chefiada por António Costa, perto de um terço dos inquiridos dizem que a gestão feita foi "assim-assim". Quase 2 em cada 10 são mais exigentes e dão mesmo nota negativa à atuação do Governo.

Olhando para o espetro político, entre aqueles que dão nota positiva, destaque, naturalmente, para o eleitorado do PS, mas também para o da CDU e do PAN. Já para os que dão nota negativa, o foco está naqueles que se identificam com o Chega.

Ficha Técnica

A sondagem foi realizada pela Aximage para a TSF, JN e DN, com o objetivo de avaliar a opinião dos portugueses sobre temas relacionados com a Covid-19.

O trabalho de campo decorreu entre os dias 19 e 22 de dezembro de 2020. Foram recolhidas 812 entrevistas entre maiores de 18 anos residentes em Portugal. Foi feita uma amostragem por quotas, com sexo, idade e região, a partir do universo conhecido, reequilibrada por sexo, grupo etário e escolaridade.

À amostra de 812 entrevistas corresponde um grau de confiança de 95%, com uma margem de erro de 3,40%. A responsabilidade do estudo é da Aximage Comunicação e Imagem Lda., sob a direção técnica de José Almeida Ribeiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de