Ricardo Mexia explica próximos passos de Marcelo após teste positivo à Covid-19

O Presidente da República tinha testado negativo ainda esta segunda-feira de manhã, num teste antigénio. Só depois testou positivo num teste PCR, que tem maior fiabilidade.

Marcelo Rebelo de Sousa deverá agora ficar em isolamento durante dez dias. Aqueles com quem o Presidente contactou nas últimas 48 horas e forem considerados contactos de risco terão de ficar em isolamento durante duas semanas. Ricardo Mexia, presidente da Associação de Médicos de Saúde Pública, explica os passos que se seguem.

"O que é suposto acontecer é a unidade de saúde pública territorialmente competente, da residência do Presidente da República, contactá-lo para fazer o inquérito epidemiológico, ou seja, por um lado apurar a sua situação, saber onde terá estado exposto para ter levado à infeção, e também saber com quem terá tido um contacto mais próximo nas 48 horas anteriores à colheita que deu origem a este resultado positivo", explicou à TSF Ricardo Mexia.

O Presidente da República tinha testado negativo ainda esta segunda-feira de manhã, num teste antigénio. Só depois testou positivo num teste PCR, que tem maior fiabilidade. O especialista em saúde pública desvaloriza o facto de, no mesmo dia, o Presidente ter tido dois resultados diferentes.

"Posso fazer um teste de manhã e outro à tarde, os testes serem adequados, o primeiro dar negativo e o outro dar positivo. Pode haver uma mudança da nossa situação clínica e, além de serem dois tipos de teste diferentes - um de antigénio, que é menos sensível, e o teste de PCR, que é mais sensível -, é perfeitamente normal que um dê negativo e depois o outro passe a positivo", afirmou o presidente da Associação de Médicos de Saúde Pública.

Marcelo Rebelo de Sousa, por enquanto, está assintomático. Mas Ricardo Mexia aponta quais serão agora os sinais a que o Presidente e os seus médicos têm de estar atentos.

"Naturalmente terá de monitorizar a temperatura, perceber se surge febre e depois toda a sintomatologia que já é sobejamente conhecida. As questões da tosse e dificuldade respiratória, que são os sintomas mais associados à Covid, mas depois há a alteração da perceção do olfato, paladar, dores musculares, mal-estar e cefaleias", acrescentou Ricardo Mexia.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de