Rio acusa Governo de ser "mãos largas para as grandes empresas"

Líder do PSD quer mais apoios para as pequenas e médias empresas e falou, em específico, do caso da EDP.

Rui Rio acusou, esta terça-feira, o Governo de beneficiar as grandes empresas em detrimento das restantes e referiu o caso do perdão fiscal de cerca de 120 milhões de euros à EDP. Na Madeira, em visita às obras de um hospital, o líder do PSD afirmou que o PS é o principal advogado da EDP "para a empresa não pagar" aquilo que deve.

"Faço uma sugestão: o Governo seguir aquilo que a autoridade tributária sugere, que é a EDP pagar os impostos devidos e isso é uma soma exatamente igual àquela que é necessária para dar a devida comparticipação aqui. A coisa fica a custo zero para o Estado se puser a EDP a pagar o que deve, tal como põe os contribuintes a pagar os seus impostos. O problema está resolvido e não pesa nada no Orçamento do Estado na exata medida em que entra aquilo que é devido pela EDP e depois é dado à Região Autónoma da Madeira a título da comparticipação que está acordada", sugeriu Rui Rio.

No que toca às medidas de combate à pandemia, Rio sublinhou, tal como já tinha dito esta manhã, que o Executivo de António Costa deve acelerar a vacinação, pois "está cientificamente comprovado" que a terceira dose é necessária.

"Para permitir que no Natal exista um leque alargado de pessoas com a terceira dose, defendidas da Covid. Minorar o risco sem ter de fechar outra vez a economia", acrescentou o líder do PSD.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de