Rio acusa Rangel de "lançar confusão através de notícias falsas"

Aquece a guerra interna no PSD com Rio a acusar a candidatura de Rangel de lançar confusão num momento em que o próprio país enfrenta uma "encruzilhada". Em causa, a eventual marcação de um Conselho Nacional extraordinário para tentar adiar as diretas.

É um comunicado com três pontos que visa não só desmentir notícias que vieram a público, como atacar Paulo Rangel. A candidatura de Rui Rio acusa o adversário de procurar "lançar confusão" na praça pública com o tema de um Conselho Nacional extraordinário que teria como objetivo adiar as eleições internas do partido.

No primeiro ponto, a candidatura de Rui Rio nota que o presidente do PSD, desde o último conselho nacional, não voltou a falar em adiar as diretas do partido. Lembrando que na altura que o fez, Rio estava a pensar no "interesse do país e do partido", esta nota enviada à imprensa destaca que a maioria dos conselheiros preferiram "lançar-se numa aventura eleitoral que em nada beneficia a imagem do PSD perante o país".

No segundo ponto, a questão orçamental: afirma a candidatura que só a partir desta quarta-feira, com a reprovação do orçamento confirmada, é que se pode colocar um cenário de dissolução do parlamento.

Por fim, o ataque. Lamenta Rio a postura da candidatura de Paulo Rangel à procura de "lançar a confusão" num momento em que o país enfrenta uma "encruzilhada". E fá-lo, considera Rui Rio, através de "notícias falsas e contrainformação, procurando colocar cenários especulativos em nome da direção do partido".

Um ataque direto ao qual se segue, ironicamente, um pedido: "O momento é de apelar à serenidade e não à guerrilha interna".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de