Rio confirma que PSD proporá "discriminação positiva" do interior na eleição de deputados

Para Rio, Portalegre é o distrito "onde faz mais sentido dizer isso", admitindo que eleger mais um ou dois deputados não resolverá o problema do interior, mas "ajudará qualquer coisa".

O presidente do PSD confirmou esta terça-feira que o partido vai incluir na sua reforma do sistema eleitoral "uma discriminação positiva" para o interior que permita a estes distritos eleger mais deputados, bem como uma divisão dos círculos maiores.

Em declarações aos jornalistas, à chegada a um almoço em Portalegre inserido nas jornadas parlamentares do PSD, Rio foi questionado sobre um desejo manifestado pelo presidente da bancada, Adão Silva, nesse sentido, mas que não tinha assumido como compromisso.

Rui Rio recordou que o PSD tem em funcionamento quatro grupos de trabalho internos, um deles sobre a reforma do sistema eleitoral e cujo trabalho está "avançadíssimo, quase pronto".

"Todas as propostas que temos contemplam haver alguma discriminação positiva em relação ao interior (...) O que é justo, na nossa opinião, é que eventualmente o primeiro e o segundo deputados de cada distrito possam ser dados por igual e depois fazer correções de forma técnica para que o sistema continue a ser proporcional", explicou.

Para Rio, Portalegre - que apenas elege dois deputados - é o distrito "onde faz mais sentido dizer isso", admitindo que eleger mais um ou dois deputados não resolverá o problema do interior, mas "ajudará qualquer coisa".

"O país deve fazer um esforço para reforçar a representatividade do interior da Assembleia da República sem estragar a proporcionalidade", disse.

Outra proposta do PSD, acrescentou, passará por "não permitir que haja círculos eleitorais muito grandes", dividindo os maiores, como os de Lisboa e Porto.

"A única dúvida que temos é o caminho matemático que temos de seguir para garantir essa proporcionalidade ", afirmou.

O objetivo é que estas propostas sejam apresentadas ainda antes do final da sessão legislativa, mas Rio diz preferir "falhar um bocadinho" o prazo e aperfeiçoar o trabalho.

Nas declarações aos jornalistas, Rio explicou que não lhe foi possível estar antes nas jornadas do PSD, que arrancaram na segunda-feira à tarde.

No final, perante uma nova pergunta, o líder do PSD deu a entender que a sua ausência estaria relacionada com razões sanitárias, que hoje já estariam esclarecidas, sem concretizar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de