Rio e as mulheres: "Queremos dar destaque, mas batemos de frente com a realidade"

Na semana em que o PSD apresentou parte dos candidatos autárquicos, Rui Rio queixa-se da dificuldade em atrair mulheres para a política e para a "atividade autárquica".

Entre os cem possíveis candidatos apresentados, esta semana, pelo PSD, existem apenas três mulheres, mas, para Rui Rio, isso deve-se "à dificuldade em encontrar mulheres para a política".

No encerramento da Academia de Formação Política das Mulheres Social-Democratas, o líder do PSD até começou por dizer "nós conseguimos, com muita facilidade, encontrar homens para a política", mas logo emendou para "bem... com muita facilidade não". A seguir, o presidente social-democrata passou a explicar as "dificuldades em encontrar mulheres para a política".

"Estamos numa época em que todos os partidos estão a fazer listas para as autárquicas e todos passam pelas dificuldades que o PSD passa", justificou Rui Rio.

"Nós queremos ter mulheres nas listas, nós queremos dar destaque às mulheres e, no entanto, chegamos a realidade e batemos de frente com a realidade: é que há muito poucas mulheres que estão na política, para não falar nas que estejam disponíveis para a atividade autárquica", sublinhou o líder do PSD, reconhecendo que "nem todas precisam de estar disponíveis" para esse desafio,

Nas listas apresentadas, pelo PSD, na última quarta-feira, existem apenas três mulheres. Apenas uma está entre as novidades: é Cristina Ferreira, candidata à Câmara de Penedono (no distrito de Viseu), autarquia da qual já foi vice-presidente. As outras duas possíveis candidatas (que, neste caso, se recandidatam) são as autarcas Maria do Céu Quintas, em Freixo de Espada à Cinta (no distrito de Bragança), e Maria Helena Oliveira, em Cantanhede (distrito de Coimbra).

Rui Rio saudou a formação da Academia Política das Mulheres Social-Democratas considerando que "se as mulheres vierem por esta via para a política, mais depressa passam os homens, porque são mais bem preparadas e porque vêm para a política porque lhes interessam determinados temas, e não para virem para aquelas guerras partidárias estéreis".

Antes, a deputada Catarina Rocha Ferreira, vice-presidente desta Academia, manifestou a convicção de que o partido terá, nas próximas autárquicas, "cada vez mais mulheres na primeira linha, como candidatas".

No encerramento desta conferência, a presidente das Mulheres Social Democratas e deputada Lina Lopes, anunciou que na próxima segunda-feira, Dia Internacional da Mulher, será feita uma homenagem a Manuela Ferreira Leite, a única mulher que chegou à liderança do PSD.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de