Rui Rio recandidata-se à liderança do PSD

Atual líder social-democrata confirmou que vai recandidatar-se nas próximas eleições internas.

Rui Rio confirmou, esta terça-feira, que vai recandidatar-se à liderança do PSD. Num comunicado enviado às redações por Salvador Malheiro, que será o diretor de campanha da recandidatura, é confirmada a recandidatura do atual líder social-democrata depois de uma "reflexão aprofundada" sobre a situação política do país, os recentes resultados das eleições autárquicas e a "incompreensível instabilidade e divisões internas" no partido.

"O presidente Rui Rio decidiu recandidatar-se à liderança do Partido Social Democrata, cujas eleições foram recentemente marcadas pelo Conselho Nacional para o próximo dia 4 de dezembro. Com esta sua decisão, tomada no devido tempo, de forma serena e responsável, e sem qualquer preocupação de ordem tática, Rui Rio entende, como sempre tem entendido ao longo da sua vida pública, que o interesse de Portugal tem de estar acima daquilo que possa ser a tranquilidade da sua própria vida pessoal", pode ler-se na nota intitulada "Por Portugal, sou candidato".

Ainda sem data, fica a certeza de que a apresentação pública e formal da recandidatura de Rui Rio está para breve. O diretor de campanha da recandidatura de Rio refere que seria "compreensível a tentação de não continuar" do atual presidente do partido "apesar dos êxitos políticos que o PSD conseguiu, quer no continente, quer nas Regiões Autónomas, e depois das múltiplas e desnecessárias dificuldades que, para tal, teve de ultrapassar". "Mas, tal como sempre, Rui Rio não é homem para desistir de lutar pelo PSD e, acima de tudo, por Portugal", salienta.

Rio mantinha desde a noite eleitoral autárquica, há mais de três semanas, o silêncio sobre uma eventual recandidatura, apesar de, logo na madrugada de 27 de setembro, ter considerado que o partido teve "um excelente resultado", que o colocava em "melhores condições de vencer as eleições" legislativas de 2023.

À TSF, Salvador Malheiro salienta que, do lado do atual presidente do PSD, ​​​​​não há nenhuma jogada política. "Conhecemos o dr. Rui Rio, uma pessoa muito racional, uma pessoa que gosta de ponderar, de refletir, nos trâmites corretos", defende.

"Sinto que há por parte dos militantes de base uma enorme concordância, alegria mesmo, motivação pelo facto de nós de não deitarmos por terra todo o trabalho feito nos últimos quatro anos", acrescenta.

As eleições diretas para escolher o presidente do PSD estão marcadas para 4 de dezembro e o Congresso vai decorrer entre 14 e 16 de janeiro, em Lisboa, e, com o anúncio desta terça-feira, já estão assumidos dois candidatos: Rui Rio e o eurodeputado Paulo Rangel, que apresentou na sexta-feira formalmente a sua candidatura.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de