Rodrigues dos Santos acusa Iniciativa Liberal de ser o "Chega com uns trocos no bolso"

Debate entre Rodrigues dos Santos e Cotrim Figueiredo ficou marcado pela acesa troca de argumentos, com o líder da IL a dizer que CDS "cancelou um grupo parlamentar inteiro". Discussão entre o "primo moderninho" e "a cabeça mais velha dos líderes partidários" só cessou quando ambos se recusaram a apoiar um governo com o partido de André Ventura.

Partilham em parte o mesmo eleitorado, mas é o que distingue o CDS da Iniciativa Liberal que risca o disco da dupla João Cotrim Figueiredo e Francisco Rodrigues dos Santos.

Para o líder centrista, os dois partidos têm "visões parecidas, até ao momento em que a Iniciativa Liberal deixa de se preocupar com as pessoas", razão que o leva a comparar os liberais com o Bloco de Esquerda (BE).

"A verdade é que eles (os liberais) são em tudo iguais à esquerda, tirando na economia", sustentou Rodrigues dos Santos, salientando que, "em grande parte do programa, a IL vota ao lado" dos bloquistas e dando como exemplo a eutanásia, as drogas leves, a legalização da prostituição e o cancelamento cultural.

Na resposta, Cotrim Figueiredo considerou que, quando o partido "é atacado exatamente da mesma maneira pela direita e pela esquerda, alguma coisa deve estar a fazer bem".

"Cultura de cancelamento?", questionou, de seguida, o presidente da IL, acusando o CDS "de ter cancelado um grupo parlamentar inteiro".

No frente a frente transmitido ao início da noite pela RTP3, temas como touradas, educação, política europeia, impostos ou regionalização fizeram subir ainda mais o tom dos argumentos, com a privatização da TAP a levar Francisco Rodrigues dos Santos a fazer a comparação mais dura para o adversário: "Você parece o Chega com uns trocos no bolso."

O CHEGA foi, aliás, o único tema de acordo entre o presidente do CDS e o líder da IL, com ambos a recusar entendimentos com o partido de André Ventura, num debate em que se acentuaram as diferenças entre os dois partidos, separados por 44 anos de existência: o CDS nasceu há 48 anos, a Iniciativa Liberal há quatro.

Irónico, Francisco Rodrigues dos Santos até admitiu estar disponível para se entender com João Cotrim Figueiredo se "o primo moderninho deixar de fazer concessões à extrema-esquerda em muitas matérias", mas na resposta o presidente da Iniciativa Liberal não perdoou.

Acusou o CDS de "acabar sozinho" na ceia de Natal e Rodrigues dos Santos de ser o mais novo e ter "a cabeça mais velha de todos os líderes partidários".

Entre novas e velhas convicções, feitas as contas aos militantes dos dois partidos de direita, ambos garantiram que não temem perder votos para o adversário. Com a meta apontada a 30 de janeiro, resta saber qual dos dois partidos mais cresce ou desaparece.

LEIA AQUI TUDO SOBRE AS LEGISLATIVAS 2022

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de